5 idéias erradas sobre a vida na Europa

Antes de começar, um aviso. Vou dizer primeiro o que a mensagem desse artigo não é: 1. Não é reclamar da Europa. Eu adoro morar na Holanda (o que deve ser meio óbvio visto que tenho um blog todo basicamente para promover a Holanda) e recomendo a todos morar fora, pelo menos um tempo (continuar ou não depende de você). 2. Não é comparar com o Brasil. Esse artigo não é sobre o Brasil. Dizer "ah, mas no Brasil é pior" não vai acrescentar nada; pode até ser que seja pior, ou não, mas o ponto não é esse. Esse artigo é sobre fantasias que pessoas têm sobre a "vida na Europa" versus o que é de verdade. Eu mesmo tinha diversas dessas fantasias, e só descobri que eram fantasias quando me mudei pra cá. Encontrei uma vida de verdade, não uma fantasia, e se quer saber, prefiro assim. Prefiro viver no mundo real, gosto dele, mesmo que tenha problemas (e toda realidade tem problemas. Não quer dizer que seja ruim. Eu falo para ajudar a quem está vindo para cá se preparar para o que é de verdade, nunca, repito, nunca para desestimular ou reclamar.) E, de novo: amo a Holanda, meus filhos nasceram aqui, e recomendo você morar fora. é um dos melhores jeitos de transformar idéias préconcebidas em realidade.

Aqui no Ducs eu sempre procuro ver o lado bom das situações e tirar uma onda com as dificuldades. Até a burocracia holandesa, que tanto me fez sofrer.

 

Chuva no Louvre

Então, a imagem geral da tal "vida na Europa" pode ficar um tanto distorcida, ainda mais se aliar isso com a tendência natural da gente se encher o saco dos nossos problemas e idealizar um mundo onde eles não existem. E alguns vêm de férias, a turismo, e têm uma experiência limitada em um contexto de viagem, de exceção, e acabam, de novo, reforçando algumas idéias erradas.

Eu já falei sobre alguns mitos sobre o tal "primeiro mundo". (O maior mito é a existência de um "primeiro mundo".  Eu, você e os holandeses vemos todos a mesma lua). Eu volto agora com mais cinco idéias que, na minha experiência, ficaram só nisso: idéias.

A realidade, como sempre, é mais complexa.

1. A vida na Europa

Pra você entender como eu me sinto quando alguém me pergunta "como é a vida na Europa?" faz assim:

Imagina que alguém te pergunte "como é a vida na América do Sul?"

Eu não sou nenhum sociólogo, mas te garanto que alguém morando em Guayaquil vai responder diferente de alguém morando em São Paulo. Olha, eu não sei como é a vida na Europa. Eu sei como é a vida em Amsterdam e em Haia. A Europa é um lugar grande e longe de ser uniforme.

Existem países ex-comunistas, países que passaram por guerra civil recente, países super industrializados, países que...

Claro, há algumas semelhanças devido à proximidade física e culturas em comum, mas Europa é abstrato demais pra você poder tirar uma base comum geral que valha pra todos, além da base comum que você tiraria até entre Brasil e Alemanha. Uma base vaga demais pra ser útil.

Vida no exterior
Nem todas as famílias holandesas vivem em moinhos, dizem as estatísticas...

2. Os europeus são muito educados

Essa é uma aplicação do conceito errado "vida na Europa" mais "só no Brasil é assim" (veja mais abaixo). Veja, não sei na Europa, mas sei que em Amsterdam, no geral, as pessoas seriam consideradas muito mal educadas no Brasil.

Esbarrões em lugar de "com licença", furar fila, ir entrando em sua casa, não segurar a porta e deixá-la bater na cara de quem vem atrás são comportamentos bem comuns. Sim, aqui jogam lixo no chão, te fecham no trânsito e fazem todas as coisas que pessoas fazem em todos os lugares.

Em Haia, diminuem os esbarrões, mas não muito.

Nunca confunda o sorriso amigo que se dá pro turista com educação de um povo, nem o que você ouve sobre Londres com o que se vive no dia-a-dia em Amsterdam.

3. Qualidade de vida

Qualidade de vida é outro conceito abstrato demais pra ter uma utilidade prática. Vamos dar um exemplo.

Eu vim pra Holanda no mesmo voo que um colega da Carla. Eu e ele morávamos em São Paulo antes, eu e ele iríamos morar praticamente três anos em Amsterdam.

Um dia, após um ano e meio, nós estávamos saindo de um bar quando ele apontou o céu cinza e chuvoso, encolheu-se um pouco com o vento que tornava a sensação térmica bem mais desconfortável do que os 13°C que fazia e disse:

— Estamos no verão, em julho. Há semanas que não vejo o sol. Isso é qualidade de vida?

Ele sentia falta dos amigos, das baladas, da família, do sol, da cidade de São Paulo. Para ele, a qualidade de vida em Amsterdam é extremamente inferior à de São Paulo.

Por outro lado, eu não posso dirigir. Pra ir a algum lugar, eu tenho de pegar transporte público, caminhar, pegar carona ou pedalar. Em São Paulo, minha mobilidade era extremamente diminuida. Aqui na Holanda eu posso ir praticamente a qualquer lugar a qualquer hora sem precisar dirigir.

Eu não ligo tanto pro frio e nunca fui de sair pra balada com os amigos. Minha família faz falta, mas ela já fazia em Sampa: eles se mudaram pra Florianópolis anos antes de eu sair do Brasil.

Minha qualidade de vida aumentou.

Duas pessoas, mesmas cidades, resultados opostos.

Olha, eu sei que existem os tais "índices de qualidade de vida", mas é que nem "renda per capita". Não é porque a renda per capita da Arábia Saudita é alta que todo mundo é rico lá. Não confunda estatística com mundo real. Se você não gosta de neve, sua vida vai ser miserável na Islândia, não importa o "índice de qualidade de vida" de lá.

4. Europeu é rico / você mudou pra Europa então enriqueceu

Em uma dessas conversas no Twitter, eu expliquei que um dos motivos de os europeus não irem tanto pro Brasil (além da óbvia, a imagem de lugar violento exposta na mídia) era o preço das passagens aéreas.

Isso espantou algumas pessoas: europeus achando caro algo?

Oras, mas é claro! Uma passagem de Amsterdam pra São Paulo custa em média uns €800, e isso é dinheiro em qualquer lugar do mundo! (Inda mais se multiplicar por 2 ou 3 pessoas).

Não é porque alguém é "europeu" que tá com a vida ganha. As pessoas trabalham aqui, tem de pagar contas, imposto, financiar casa ou pagar aluguel!

A confusão aqui é entre "país rico" e "pessoas ricas".

A Holanda é um país rico porque aqui uma parte razoável da população tem acesso à renda. Isso não quer dizer que a renda de todos é mais alta. Ao contrário!

Mais igualdade social não quer dizer "todos sobem". Mais igualdade social quer dizer "a maioria se encontra no meio".

(E pra isso, alguns tem de descer — e não gostam. Cansei de ver gente que, quando se muda pra Holanda, reclama um horror de ter de abrir mão de um monte de privilégios. Mas isso é história pra outro artigo.)

5. Só no Brasil é que acontece isso

Se você quer morar fora "pra fugir dos problemas do Brasil", uma dica: você vai continuar com problemas. Alguns novos, alguns exatamente iguais (aqui também é um inferno pra mudar assinatura de TV a cabo e telemarketing te trata que nem lixo).

Além dos problemas normais, você terá mais um em cima: ser estrangeiro. O que não é um problema pequeno.

(E toda vez que você diz "isso só acontece no Brasil, em país de primeiro mundo é diferente" você só está se fazendo de tolo).

Eu gosto da experiência de ser expat, estou aqui porque quero, mas pela oportunidade de aprendizado e, como disse no começo, eu procuro tirar aprendizado das minhas experiências. Mas esse aprendizado, eu pago caro por ele (ainda falarei sobre esse alto preço), estou aqui porque é uma oportunidade que agarro e conquisto a cada dia, não porque aqui na Europa "não tem problemas". Vida sem problemas, não sei se te contaram, não existe.

 

Ingressos pra atrações em Amsterdam

Um jeito bacana de retribuir o Ducs e ainda se dar bem é comprar ingressos online comigo. Assim você evita ficar tomando vento em fila quando você devia estar passeando… e me dá uma força preciosa!

Dá uma olhada na página de ingressos do Ducs Amsterdam

Reserva um hotel bacana aqui em Amsterdam!

Booking.com

Eu escrevi um artigo com muitas onde ficar em Amsterdam.

E se você fizer sua reserva através dos links do Booking aqui no Ducs, eles repassam uma comissão pra gente (ao mesmo tempo que você paga menos pelo hotel).

Então é uma forma de apoiar o Ducs em Amsterdam e ainda descolar um lugar legal, ter suporte em português e pagar menos! :) Todo mundo ganha!

Booking.com