Dica de museu em Amsterdam: Stedelijk Museum, design, arte moderna e contemporânea

Museumplein & Stedelijk
Stedelijkmuseum ao fundo

Quando a gente mudou pra Amsterdam, a Museumplein mal merecia seu nome de "Praça dos Museus": tá, o Van Gogh estava funcionando, mas o Rijksmuseum estava apenas parcialmente aberto e o Stedelijk Museum estava em reforma até... quando? A resposta padrão era "ano que vem".  Todo ano.

Virou até piada corrente entre os Ducs, "claro amor, faço isso quando Stedelijk abrir". Uma das primeiras fotos que tirei do museu prometia a inauguração pra 2009.

Reabriu no fim de 2012. Com uma enorme e monumental banheira na frente.

Eu não tô brincando.

Stedelijk Museum Amsterdam
Mas queria estar...

E como o Stedelijk Museum de Amsterdam foi parar com uma banheira na frente?

História

Assim, o Stedelijk foi projetado e inaugurado no finzinho do século XIX, pra ser o Museum Municipal de Amsterdam (isso é que "Stedelijk Museum Amsterdam quer dizer). Rapidamente ele juntou uma coleção respeitável de arte moderna e contemporânea, incluindo Van Gogh, Matisse, Chagall Mondriaan, Pollock, Warhol, Kandinsky e  mais uma patota da pesada.

Stedelijk Museum Amsterdam
Isso é um Mondriaan, com os dois aa que ele usava antes de virar mainstream...

O museu ficou cool e ficou in, e se destacou como um dos melhores do mundo pra arte moderna e contemporânea. A coleção só melhorava, com peças do movimento holandês De Stijl (a famosa cadeira de Rietveld está lá), e da escola alemã über cool Bauhaus.

Uma ala nova foi inaugurada nos anos 1950, abrigando happenings, protestos culturais e arte altamente experimental.

Supimpa, mas... o tempo é implacável, e o prédio passou a não dar conta da excelente coleção. Enfim, era um prédio antigo, sem controle de clima, com problemas de manutenção e que estava ficando rapidamente pequeno pra abrigar tanta obra boa.

Nos anso 2000 o prédio estava em total decadência: um vazamento no teto detonou obras importantes, e o véxi final veio quando o departamento de bombeiros de Amsterdam mandou fechar porque o prédio não atendia os requisitos de segurança contra incêndio. Pãtz.

Stedelijk Museum Amsterdam
Negócio entortou pro lado do Stedelijk

Renovação

Bom, já que tava fechado mesmo, toca reformar. O problema é que... bem, o projeto todo foi um problema. Diversos arquitetos pegaram o projeto e depois abandonaram (ou foram abnadonados), alguns projetos aprovados não eram factíveis, a verba estourou, a obra encrencou e estagnou.

Foi nessa altura que chegamos em Amsterdam e entramos no clima de meio tiraa-um-sarro meio critica dos holandeses já injuriados com a conspícua escassez de museus na Praça dos Museus.

Museumplein
Tirei essa foto em 2009, quando supostamente era pra estar reinaugurando o museu. Na falta de museu de arte reaberto, eles tinham guindastes coloridos.

Quando a coisa estava ficando vexaminosa e o público passou a resmungar alto, a cidade saiu-se com esse projeto banheiroso, estilo vou-chocar-a-cidade, se o Louvre pode por pirâmide por que não banheira?

Porque é feia pra cacete. Ahem. Enfim, todo prédio com proposta arrojada causa controvérsia (incluindo o NEMO, eu eu acho o NEMO muito cool, eu inclusive acho um dos top lugares pra se fotografar Amsterdam).

Bueno, feia ou não feia, a banheira cumpriu seu papel, expandindo o Stedelijk com instalações modernas e, de boa, prefiro um museu aberto com banheira do que fechado pra reforma eterna.

Daí, né, fui lá ver, porque eu curto arte moderna.

Perae, Daniduc, arte moderna não é só nome bonito pra picaretagem?

É um comentário comum. "Isso minha filha de dois anos fazia".

"Cara joga lata de tinta no chão e prega ervilha na parede, chama de arte... e cobra cinco milhões de patacas".

Existe picareta no mundo? Lógico que sim. Mas dizer que arte moderna é picaretagem é muita injustiça. Mesmo porque você se beneficia de um monte de coisas que ela trouxe.

Seguinte, arte moderna é que nem pesquisa. Pesquisa envolve experimentação. Pra avançar o conhecimento humano, você tem de testar as coisas, experimentar, ter uma idéia e ver como ela se sai na prática, corrigir o rumo conforme o resultado do teste.

Arte moderna é experimentação. Os artistas pararam de aceitar de barato as definições clássicas do que é arte e passaram a se perguntar: "mas, afinal, o que é arte?"

E passaram a testar. Se eu fizer isso, ainda é arte? O que é um quadro? Se eu puser um elemento tridimensional num quadro, ele ainda é um quadro?

Stedelijk Museum Amsterdam
Um elemento tridimensional tipo, sei lá, uma vassoura por exemplo. Por que Não uma vassoura? hm? Diz.

E uma coisa que é preciso entender sobre experimentação e pesquisa: nem todo experimento dá certo. e nem por isso o experimento é inútil. Erros ensinam, mostram novos caminhos, avisam sobre caminhos que não vão funcionar. Mesmos os experimentos que falharam tem seu valor (se feitos honestamente).

Não, arte moderna não é picaretagem, é importante e muito do nosso mundo usa os resultados de seus experimentos em estética.

E a coleção do Stedelijk honra essa tradição experimental.

Stedelijk Museum Amsterdam
"Calma, não é porque o experimento falhou que ele é inútil... pronto, pronto..."

A visita ao Stedelijk com criança

Fomos eu, Carla e Babyduc de carrinho amarelo com balão visitar o Stedelijk. Confesso que fiquei um pouco apreensivo sobre a pequena se entediar mortalmente vendo arte moderna, mas olha, foi um imenso e monumental sucesso.

Stedelijk Museum Amsterdam

O museu tem todo um lance de exploração e interatividade, que a Babyduc amou. Por exemplo, na parte de design, há gavetas para você abrir e ver as peças, e ela se divertiu imenso, abrindo as gavetas e vendo o que tinha dentro.

Existia peças de design de móveis pra criança, por exemplo, que provaram ter acertado fenomenalmente, já que a Babyduc queria sentar na coleção permanente do museu (não deixamos, claro).

Stedelijk Museum Amsterdam

Mas em outras partes tocar nas obras de arte era não só permitido como encorajado.

Muitas obras precisavam do público participando pra fazerem sentido, e era muito legal ver as pessoas "dançando" na frente de instalações pra influenciar na obra - arte influencia as pessoas a influenciarem a arte! hah! Fala se arte moderna não é legal!

Embaixo da Banheira tem também um restaurante que as pessoas indicam inclusive por ser receptivo pra crianças (ou, como dizem os holandeses, "kindvriendelijk"). Eu não saberia dizer, proque estava lotado todas as vezes em que fomos.

Por outro lado, o staff do museu foi prestativo e amistoso, e a Babyduc estava longe de ser a única criança a correr feliz explorando as alas e obras do museu.

A acessibilidade foi razoável: pra entrar um funcionário do museu abriu a porta ao lado rpa eu não ter de manobrar o Babyduc-móvel pela estreita porta giratória e de resto pegamos elevador. Só pra sair eu fiquei com preguiça de dar toda a volta de elevador e simplesmente carreguei o carrinho por alguns degraus.

Stedelijk Museum Amsterdam

E por último: tem um atelier para família com atividades pras crianças, mas não fomos com a Babyduc lá. eu só passei na frente e olhei, todas as crianças eram mais velhas. De toda a forma, tá registrado.

Economizando na sua visita ao museu: Museumkaart

Por falar nisso, a visita foi bem mais curta do que era nossas visitas à museus antes de termos filho. Antes os Ducs iam ao museu e ficavam, tipo, eras geológicas lá dentro, explorando detalhadamente cada plaquinha (perdi as contas de quantas vezes fui chutado pra fora de museu com os funcionários dizendo "eu quero ir pra casa, ver minha família, chega! Amanhã você volta!", e eu "volto!" eles: "suspiiiiiiro, pior que volta").

A Babyduc se divertiu horrores, sim, mas enfim, ela cansa.

Stedelijk Museum Amsterdam
Se bem que ela vai pelo mesmo caminho dos pais...

Justamente por isso nós fizemos a Museumkaart, ou, a carteirinha dos museus. Eu tinha falado dela em 2010 (!) no artigo sobre maneiras de economizar na Holanda. Vale dar uma atualizada.

O esquema é bem legal se você mora na Holanda: custa €54,95 por ano (tem uma taxa extras de custo administrativo a primeira vez que você faz). Daí, uma MONTE de museus na Holanda aceitam, incluindo os maiores. E muitas vezes você nem precisa pegar fila pra entrar.

No Stedelijk, por exemplo, tem uma máquina na entrada, onde você escaneia sua museumkaart e pega o ingresso (no Hermitage e outros também é assim).

Pra comprar você pode pedir online, ou então pode comprar direto na bilheteria de diversos dos museus que aceitam a Museumkaart.

Com a Babyduc é um negocião: sempre podemos voltar e ver outra parte do museu, sem ficar tenso com o preço.

E se eu não moro na Holanda? Pode?

Até pode, mas se você vai turistar poucos dias e em Amsterdam principalmente, de repente vale mais a pena pegar o cartão I Amsterdam, que dá direito à entrada nos museus mais famosos, mas também tem uma série de outros benefícios, como transporte público incluso, além de descontos em outros passeios. E se você vai um pouco além de Amsterdam, dá uma fuçada no Holland Pass.

Vale a pena?

Sim!

O novo prédio não é muito fotogênico, e não ajuda que na frente da banheira tem um supermercado (claro, o indefectível Albert Hein) meio que tampando a vista do museu e tornando a coisa toda meio poluída, mas o que importa mesmo é a sua coleção. E a coleção do Stedelijk é fantástica. Mesmo se arte moderna não é sua preferida, vá lá ver se você muda de idéia.

Stedelijk Museum Amsterdam

Serviço

Stedelijk Museum
http://www.stedelijk.nl/en
Museumplein, 10 (se bem que é difícil ignorar o Stedelijk na Museumplein...)
Horários: das 10h00 até as 18h00, exceto de quinta-feira, quando fecha às 10 da noite
Preços: varia. Olha a tabela aqui.
Compre ingresso online para o Stedelijk com o Ducs Amsterdam!

Fontes

http://nl.wikipedia.org/wiki/Museumkaart
http://en.wikipedia.org/wiki/Stedelijk
http://nl.wikipedia.org/wiki/Stedelijk_Museum_(Amsterdam)
http://www.nytimes.com/2012/12/24/arts/design/amsterdams-new-stedelijk-museum.html

 

Ingressos pra atrações em Amsterdam

Um jeito bacana de retribuir o Ducs e ainda se dar bem é comprar ingressos online comigo. Assim você evita ficar tomando vento em fila quando você devia estar passeando… e me dá uma força preciosa!

Dá uma olhada na página de ingressos do Ducs Amsterdam

Booking.com

Reserva um hotel bacana aqui em Amsterdam!

Eu escrevi um artigo com muitas onde ficar em Amsterdam.

E se você fizer sua reserva através dos links do Booking aqui no Ducs, eles repassam uma comissão pra gente (ao mesmo tempo que você paga menos pelo hotel).

Então é uma forma de apoiar o Ducs em Amsterdam e ainda descolar um lugar legal, ter suporte em português e pagar menos! :) Todo mundo ganha!

Booking.com

10 comentários em “Dica de museu em Amsterdam: Stedelijk Museum, design, arte moderna e contemporânea”

  1. Parabéns pelo blog! Queria mais dicas sobre o Museumkaart para turistas. Como A Casa de Anne Frank e alguns museus não estão no I Amsterdam City Card, estou achando que o Museumkaart pode ser mais vantajoso. É verdade que com o Museumkaart você fura fila e com o I Amsterdam City Card não?

    Obrigada

    Responder
    • Olá Thaís,

      Aqui você tem a lista de onde você pode utilizar o Museumkaart"https://www.museumkaart.nl/museumkaartgeldig#tab-Noord-Holland. Você pode adquiri-lo em alguns museus, mas nem sempre é garantia de não ter que pegar filas... na casa da Anne Frank você pega a fila, por exemplo.

      Responder
      • Mas no caso da Anne Frank tem a opção no site para comprar com o Museumkaart o ingresso com hora marcada, pagando apenas 0,50 de taxa de administração. A mesma coisa com o Van Gogh. O que me deixa insegura de comprar o ingresso com hora marcada pelo Museumkaart, é que vou precisar adquiri-lo antes de fazer qualquer outra coisa, e não sei onde compra-lo. Todas as informações que encontrei na internet foram muito vagas. Me disseram no hotel que qualquer museu participante venderia. Daí pensei em comprar no Palácio Real por ser próximo da Anne Frank, mas há um aviso no site dizendo que eles não vendem o Museumkaart no desk deles. Como turista e não residente, que não pode comprar o Museumkaart pela internet, como posso ter certeza de onde ele é vendido? O I Amsterdam Card eu já compraria no aeroporto, seria mais cômodo, mas daí ia ter que pegar a fila do Van Gogh. Qual o tamanho dessa fila em início de junho? será que compensa? Outra coisa sobre fila, para pegar o audioguia é sempre outra fila além da da bilheteria e da entrada? Como funciona. Obrigada!

        Responder
          • Oi, Dani!

            Sabe me dizer se o Stedelijk Museum da matéria também vende o Museumkaart? E se a fila dele é menor que a do Van Gogh?
            Porque se eu comprar o ingresso com hora marcada do Van Gogh na opção Museumkaart e deixar para comprar o Museumkaart lá, vou ter que pegar toda a fila da bilheteria certo?

            Obrigada

            Responder

Deixe um comentário

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.