Bruges: história e turismo na Bélgica

Eu nunca tinha ouvido falar de Bruges (seu nome original em holandês é Brugge, mas pra evitar arranhar a garganta dos não iniciados, nesse artigo vou com o nome francês) até ver um cartaz do filme "In Bruges" no metrô de Londres, da primeira vez que cruzei o canal, em 2008. E de repente, ela estava em toda parte. Todo mundo perguntando aqui no Ducs, as pessoas comentando, uma prima da Carla foi.

Não sei se o filme teve a ver com a popularização da cidade (me parece que ele ficou meio obscuro) ou se foi só propaganda boca-a-boca de quem foi e curtiu. De qualquer forma, acabei indo conhecer Bruges antes de conseguir ver o filme (comprei o DVD depois). E deixa eu dizer: não, Bruges não é, como dizem no filme, um "shithole" 🙂

Passeando de barco em Bruges
Na verdade, Bruges é inclusive muito legal

Cidade histórica medieval

O que é Bruges então? Uma cidadezinha medieval no nordeste da Bélgica, província de Flandres? É, sim, também. Embora ela pareça um pouco... como direi... bem preservada demais. Claro, o centro histórico de Bruges é, desde 2000, Patrimônio da Humanidade, por ser um "excelente exemplo de assentamento medieval" tendo mantido sua característica ao longo da história.

História gloriosa, aliás. Bruges foi centro comercial e industrial já no século XIII. A indústrial têxtil estava nos seus primórdios, e Bruges produzia lã, estabelecendo contato comercial com a Inglaterra. A coisa foi indo bem, e no fim século XV Bruges tinha o dobro de habitantes de Londres (!). Era rica e poderosa, cidades italianas como Florença e Gênova tinham embaixadas comerciais por lá e o porto estava atulhado de navios com mercadorias de toda parte.

Porto? Que porto? O porto da cidade hoje fica meio longinho de Bruges e foi construído só no século XIX! Estamos falando da Idade Média, certo? Exato. Nessa época, Bruges era conectada com o mar por um canal, o Zwin. Porém, o canal estagnou e perdeu o acesso ao mar durante o século XV, deixando Bruges isolada. O comércio parou, Antuérpia e seu porto foram enriquecendo, e Bruges acabou tão estagnada quanto as águas que um dia a haviam ligado ao mar. E por uns 400 anos assim ficou.

As águas estagnaram e, com elas, a cidade.
As águas estagnaram e, com elas, a cidade.

Daí teve Waterloo - cê manja, onde Napoleão perdeu a guerra? Waterloo (ou, como dizem por aqui, váterloô) fica perto de Bruxelas, e os turistas ingleses indo pra lá começaram a passar por Bruges. Um escritor publicou um romance, Bruges-la-Morte (Bruges, a morta), que acabou por ressuscitar a cidade como centro turístico - e o turismo é o que move a cidade hoje.

Mais turística do que medieval

A história de Bruges é real, mas no centro, bem, rolou aquela renovada, claro. Veja, nada dura pra sempre, e sem manutenção as coisas duram bem pouco. Mas junto com a manutenção, tenho a impressão de que houve uma... "embelezada". Pode ser implicância minha, mas fiquei com aquela sensação de que a coisa toda era um tanto quanto de show. Não que não seja legal, note bem, eu gostei de lá. Mas achei mais pra parque temático do que cidade realmente medieval (Florença me pareceu mais autêntica, com turistada e tudo). E em Bruges, eles sabem cobrar bem pelo privilégio de visitar.

Passeio de barco
Turistas aproveitando a cidade e movimentando a economia.

Mas deixemos de implicância. É um excelente passeio, a cidade é de fato linda, e me diverti tirando fotos lá com minha falecida Sonyzinha.

Indo de trem: Como chegar de Amsterdam até Bruges

É simples. Uma opção é ir de carro, mas eu e Carla preferimos ir de trem sempre que possível. Nesse caso, ir de trem envolveria uma baldeação em Antuérpia.

Dá pra consultar os horários e preços dos trens entre Amsterdam e Bruges no site da NSHispeed. Se você quiser ver um guia completo como são os trens que ligam Amsterdam a Bélgica, eu escrevi um artigo sobre como ir de trem de Amsterdam para Bruxelas — pode ler, muita coisa serve pra Bruges, já que os trens são os mesmos: você terá de baldear de qualquer maineira, ou em Antuérpia ou em Bruxelas, e pegar outro trem pra Bruges.

Tem o trem da Thalys, que vai até Paris e passa por Bruxelas também, mas não queríamos esse. Primeiro porque é mais caro, segundo porque prefiro a baldeação em Antuérpia. Pegamos o trenzão simples mesmo, cheio de gente se encolhendo no friozinho de outono.

Uai, mas o trem não tem aquecimento? Sim, tem, mas tinha também uma senhora e sua amiga causando (ainda se usa essa gíria?) no trem. Ela falava alto, gritando sobre como logo estaria aproveitando A GRÃ PLÁCI EM BRUXELAS, levantava o tempo todo, apontava, abria a janela pra poder fotografar "as VAQUINHAS HOLANDESAS", o que ela estava causando era um grande incômodo pra todo mundo.

Além disso, ela falava mal na frente das pessoas, acreditando que ninguém ali a estava entendendo.

Mencionei que ela e sua amiga eram brasileiras? Pois eram. Não quero entrar em polêmica de nacionalidade aqui: existem malas em todas as línguas. Mas quando é a sua, a vergonha alheia que já seria forte, fica insuportável.  A viagem entre Amsterdam e Antuérpia de trem leva umas duas horas e meia, normalmente. Essa pareceu durar 15. Mas acredito que ela tenha conseguido obter, junto com o ódio de todos os outros passageiros, as malditas fotos das vaquinhas holandesas (depois da fronteira, eram vaquinhas belgas).

Estação central de Antuérpia
Felizmente, a passagem pela bela estação central de Antuérpia e um gauffre gordelícia tiraram qualquer gosto ruim desse começo de viagem...

Chegando em Antuérpia, pra livrar o trauma da companhia de nossa compatriota, tivemos o primeiro contato com sua linda estação central. Subimos as escadas até as plataformas mais ao alto, não sem antes nos abastecermos do excelente waffle de um carrinho estacionado em um dos andares,  e pegamos o próximo trem que iria pra Bruges. Os trens da companhia belga  (NMBS) são muito confortáveis, e esse estava vazio. O que foi bom, já que teve um acidente na ferrovia e ficamos parados mais de hora e meia presos no meio do caminho dentro do trem. Longa viagem.

Mas foi azar. Normalmente, viagem de trem é bem tranqüila, e continua sendo meu método preferido.

Chocolate, cerveja e renda.

A indústria de tecidos há muito perdeu importância pra indústria turística, mas ainda existe na forma de rendas, que estão por toda a parte na cidade. São bem bonitas, e bem caras. Não compramos nenhuma.

Bruges: cerveja de chocolate
Uma garrafa de cerveja feita de chocolate. Só faltou estar embrulhada em renda.

Tá, e o chocolate?

Já os outros tradicionais produtos belgas fizeram a nossa festa. Chocolate e cerveja do país estão entre os melhores do mundo, fácil. Existem muitas lojas de chocolate, e, sabe, pra poder dar uma opinião ponderada e justa aqui no Ducs, tive, tive de fazer uma extensa pesquisa. Após consumir alguns quilos de chocolate (transformados em quilos extras de Daniduc) no local, posso dizer com tranqüilidade que a melhor loja é a Spegelaere (Ezelstraat 92, abre de terça a sábado, das 8 às 18, fecha pra almoço ao meio dia e abre de novo à uma. De domingo abre às 9 e fecha à uma. Segunda não abre. Sim, foi um parto achar essa loja aberta. E valeu a pena.) Se você comer as pralines de lá e não gostar, pode vir reclamar comigo e me dar o resto da caixa, que eu vou… hmm… tomar providências imediatas pra eliminar o problema.

Evite o tal do Museu do Chocolate. É um tremendo de um armadilhão de turista. Reuniram meia dúzia de coisas que marginalmente tem relação com o chocolate, fizeram uns cartazinhos bem mequetrefes e juntaram isso com um balcão onde se vê "fazendo" os famosos bonbons (pralines) de Bruges — estava vazio quando fomos. Os produtos da lojinha são caros, e tequinho de chocolate dado como amostra grátis é bem ruim. Poderia ser interessante - quase comecei a me divertir com a história da Cote D'Or, uma das minhas marcas favoritas de chocolate no mundo todo, mas o que tinha era muito pouco e superficial. Pra mim, a roubada da viagem. OK, a tia do trem foi mais, mas essa pegou um desonroso segundo lugar.

Agora cerveja: Cervejaria Haalve Maan

Bruges: Cervejaria De Halve Maan
"Meia Lua inteira, sopapo na cara do fraco, estrangeiro gozador.." - Cervejaria Halve Maan, Meia Lua, vale a visita

De cerveja, Bruges também está bem servida. Eles tem uma cervejaria local, De Haalve Maan (A Meia Lua, fica na Walplein 26), que faz a Brugse Zot. Você irá encontrá-la por toda a parte, mas o melhor lugar pra tomá-la é na própria cervejaria. Ela tem tour guiado (que eu fiz), onde você vai aprender sobre cerveja em inglês e holandês (e, se tiver pessoas o suficiente querendo, alemão e francês). E depois pode tomar a cerveja local tirada na pressão, antes de ser filtrada (o que é feito fora da cidade), algo que você só pode fazer lá. O tour sai por €7,50, incluindo um copo de cerveja e ainda terá uma bela vista da cidade a partir do telhado da cervejaria.

Cerveja Brugse Zot
Assim como a Lua, os copos tem a tendência de ficarem pela metade rapidinho...

A propósito, se você curte cerveja, a Holanda manda muito bem, também. Aliás o Alexandre Gueda deu uma indicação de um pub de cerveja em Bruges que, segundo ele, é imperdível: café 't Brugs Beertje (Kemelstraat 5).

História em prédios: O campanário de Bruges

Além da arquitetura típica em Bruges, existem muitos prédios e locais de relevância histórica. O mais famoso deles é o Campanário de Bruges (EN: Belfry of Bruges NL: Belfort van Brugge), impressionante torre bem no Grote Markt, o mercado central da cidade - aliás, lindo. O prédio é meio que símbolo da cidade, tem papel central no fim do filme In Bruges, e é parte de outro Patrimônio da Humanidade, os campanários da Bélgica e França.

Campanário de Bruges
Ah, sim, só avisando: é alto pra dedéu. (Confessa que "dedéu" você não lia tinha um tempo...)

Sendo eu um entusiasta de ver as cidades no alto, resolvi encarar os trezentos e sessenta e seis degraus. Pelo privilégio de ter seu condicionamento cardíaco desafiado, rola uma entrada (5€, criança menor de 13 anos não paga - e se tiver o cartão da cidade, é de graça), mas uma bela vista da cidade é a recompensa. Além disso, dá pra admirar o carrilhão e os sinos de bem perto. A subida é feita em etapas, e as escadas são estreitas. Tem que rolar uma negociação entre quem sobe e quem desce em vários lances.

Vista do alto do campanário de Bruges
Vista do alto do campanário de Bruges

No dia em que escolhi ir estava rolando uma feira no Grote Markt, foi bem legal.

Feira na Grote Markt de Bruges

A Igreja de Nossa Senhora e a Virgem Maria com criança  de Michelângelo

A Igreja de Nossa Senhora (Onze Lieve Vrouwekerk é um prédio sóbrio, como bem definiu o Lonely Planet, e eu não recomendaria especialmente entrar nela se não fosse pela escultura da Virgem Maria com criança (Madonna with child) de autoria de Michelângelo. Dizem ser a única escultura do artista a deixar a Itália enquanto o artista era vivo. Comprada por um patrono rico da cidade, ela foi e voltou ao longo do tempo, conforme guerras e invasões aconteciam, mas hoje está lá, pra qualquer um admirar. Inclusive, no dia, eu era o único visitante, apesar da entrada grátis (é, afinal, uma igreja).

Bruges: madonna with Child Michelangelo
Velho Mike sempre manda bem...

Claro, tour de barco pelos canais

A cidade é toda cortada por canais, e dá pra fazer o tour  de barco. É mega turistoso, eu sei, mas eu curto tour de barco mesmo assim. Indiquei até como uma das atrações de Amsterdam.

Bruges: passeio de barco
O passeio de barco inclui o Lago do Amor

O piloto do nosso barco era até que engraçado, e ver ele pilotar de pé, com a cabeça passando, com suprema indiferença e segurança, a milímetros das baixíssimas pontes de Bruges acabou virando uma diversão extra entre a turistada do barco. O cabelo dele era bem esvoaçante e efetivamente encostou na ponte mais baixa.

Guia de barco no passeio em Bruges
"- Não vai dar", "- Dá sim", "- Tô falando que não vai..." "- Relaxa, quem é o guia aqui?", "- Bom, a cabeça é sua, amigo..."

No fim o passeio foi legal, e o piloto nem precisava ter chantageado emocionalmente todo mundo pra ganhar gorjeta. Não a mim, ao menos, eu teria dado de qualquer maneira.

Begijnhof e o Lago do Amor

Achou dois Patrimônios da Humanidade numa cidadezinha desse tamanho pouco? Tem mais um, um dos Jardins das Beguinas de Flandres (EN: Flemish Béguinage NL:Vlaamse Begijnhof) fica lá em Bruges. As Beguinas eram mulheres que queriam viver uma vida retirada e dedicada à Deus, mas sem se ordenarem formalmente. Elas formaram comunidades nos países baixos (não confunda com os Países Baixos atual, popularmente conhecida por Holanda. Tô falando da região histórica, que hoje está dividida entre norte da Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo), casinhas protegidas por um muro e voltadas pra um jardim central, onde em geral havia uma igreja.

Alguns destes jardins sobrevivem até hoje. Inclusive o Begijnhof de Amsterdam é uma das atrações de lá. Fui visitar também o de Bruges. Fiquei pouco, não entrei, mas achei bonito e, sim, como em geral são os jardins das Beguinas, tranqüilo.

Jardim das beguinas em Bruges

Um outro lugar tranqüilo ali perto é o Lago do Amor (EN: Lake of Love NL: Minnewater). O motivo do nome, desconheço. Eu e todo mundo, aparentemente. Antes da ligação medieval com o mar estagnar, ali ficava uma movimentada doca, bem o oposto de hoje. Não é nada de especial, mas quando fui tinha surpreendentemente poucos turistas, e estava bem calmo. Não sei se é assim sempre.

Sossego

Aliás, a cidade toda é muito sossegada. Durante a noite, não havia ninguém nas ruas. Andávamos com a cidade meio que pra nós. Tudo bem que não era alta temporada, mas ainda assim. Eu, que gosto de andar a pé, achei uma delícia. Inclusive porque a cidade é um ovo. Literalmente, também (o centro histórico é cercado por um fosso oval).

Quem tá no pique de balada deve se entediar até a morte durante a noite.

Bruges: sombras nas casas
Em compensação, quem quer fotografar vai se divertir horrores

Bruges local. Isso existe?

Bruges ainda tem outras atrações (como o museu onde tem obras dos Flemish Primitives, mestres pintores da época em que a cidade era dos hubs da Europa, ou a Stadhuis, a antiga prefeitura) e diversas surpresas escondidas. Passamos por outras aventuras (como comprar pão numa máquina automática e jantar pão e água de pé na rua deserta), mas é hora de ir finalizando.

Apesar de megaturística — Bruges me parece ser tudo o que Campos de Jordão queria ser quando crescer — ela não fica só nisso. Basta se aventurar um pouco, ignorar os guias e andar sem olhar o mapa, enxergar não os anos de história, mas a população local vivendo a vida normalmente. Force a vista um pouco além do show montado e dos turistas, e você verá que ela está lá também, não apenas na Bruges moderna, fora do centro. Descobrir uma nesga dela foi uma das boas surpresas da viagem.

Praça em Bruges
Vida local

No geral, gostei de Bruges. A coisa de que mais senti falta, na verdade, foi de uma caneca escrita "Fucking Bruges" ou mesmo "Bruges is (not) a shithole". Ah, não faça essa cara de chocado, é uma referência ao filme In Bruges, e eu acharia mega cool se as armadilhas de lá tivessem aproveitado pra entrar na onda. Bem, ao menos teriam arrancado mais alguns euros de mim.

Estátuas
Bruges oferece muitas oportunidades de foto

Cartão da cidade

Uma dica pra adiantar seu lado em Bruges: Eu vendo (via Ticketbar) um cartão da cidade, que dá entrada grátis em um monte de atrações (além de montes de outros descontos). Bom pra facilitar seu passeio. Dá uma lida aqui!

Hoteis que ficamos em Bruges

Minha cunhada e o marido dela ficaram no Íbis de Bruges, que é bem localizado, dentro do centro histórico e perto de diversas atrações.

Já nós reservamos uma pensão — no nome um hotel, Hotel Asiris —, bem no limite de fora do centro. Não tinha elevador, somente escada, mas tinha uma vista bonita pra Igreja. Mãe e filha cuidam da pensão e o atendimento é muito simpático, e elas servem um bom café da manhã.

Se você está planejando sua viagem pra Europa e procurando hospedagem, eu tenho um tutorial de como procurar hotel bom e barato na Europa.

Guias

Usei o Lonely Planet da Bélgica e Luxemburgo. O Lonely Planet nunca me decepciona, e esse também é sensacional: completo, bem escrito e bem explicado. Já prum guia mais direto ao ponto, eu comprei o Fodor's Brussels' & Bruges' 25 Best, 4th Edition, que me deu a dica da melhor chocolateria de Bruges. Só por isso, ele já teria valido. Mas é boa companhia de viagem também.

Ah, e por falar em Guias: se você está indo pra Amsterdam, eu escrevi um Guia sobre a cidade! Sim, euzinho! 😀 Clica no link e prometo que você vai ter um grande companheiro de viagem: Guia Ducs Amsterdam.

Próxima parada: Gent... ou Paris?

Gent é outra cidade medieval na Bélgica. Fica bem no caminho da estrada de ferro entre Bruges e Antuérpia, então é bico ir pra lá. Foi o que eu fiz, e tem um artigo sobre o meu dia em Gent.

Se você está indo pra Paris também, escrevi um artigo com muitas dicas de Paris. Dá uma lida, vale a pena.

Excursão bate-volta saindo de Amsterdam para Bruges

Eu vendo em parceria com a Ticketbar uma excursão de bate e volta saindo de Amsterdam para Bruges. De repente é uma boa pra sua viagem:

Ingressos pra atrações em Amsterdam

Um jeito bacana de retribuir o Ducs e ainda se dar bem é comprar ingressos online comigo. Assim você evita ficar tomando vento em fila quando você devia estar passeando… e me dá uma força preciosa!

Dá uma olhada na página de ingressos do Ducs Amsterdam

Booking.com

Reserva um hotel bacana aqui em Amsterdam!

Eu escrevi um artigo com muitas onde ficar em Amsterdam.

E se você fizer sua reserva através dos links do Booking aqui no Ducs, eles repassam uma comissão pra gente (ao mesmo tempo que você paga menos pelo hotel).

Então é uma forma de apoiar o Ducs em Amsterdam e ainda descolar um lugar legal, ter suporte em português e pagar menos! :) Todo mundo ganha!

Booking.com

41 comentários em “Bruges: história e turismo na Bélgica”

  1. Ola... Estarei em Bruxelas no final de Julho. Vou passar um dia em Bruges mas estou na dúvida entre domingo e segunda feira. O que você acha... Ou tanto faz... Obrigado.

    Responder
  2. Oi Daniel! Obrigada pelas dicas. Estamos indo para Bruges entre natal e ano novo. Vale a pena dois dias em Bruges ou um é suficiente?

    Responder
  3. Olá...
    estava pensando em fazer um bate e volta para Bruges no fim do mês, já que estarei em Amsterdam. Sabes de alguma empresa que faça excursão, tirando a Viator?

    Obrigada,

    Responder
  4. Olá Dani
    Estamos a caminho de Bruges para meio dia e uma noite.
    Amanhã iremos para Amsterdã
    Voce tem zap? Gostaria comprar alguns ingressos com você.
    Abraço
    Estou com chip 4G da Orange mas mantive meu número do Brasil.

    Responder
  5. Boa tarde!

    Ola, estarei em Armsterdan , inicio de Novembro e gostaria de ir ate Bruges, o que voces sugerem e que nao fique muito caro.
    Vi que vocês vendem pelo ticketbar bate volta para Bruges, esse passeio é direto para Bruges ou inclui outras cidades?

    Obriagda

    Mara

    Responder
    • Olá Mara Cristina,

      Todas as informações sobre esse passeio: Como não se encantar com um lugar que mais parece o cenário de um conto de fadas?

      Viaje no tempo visitando essa linda cidade medieval!

      Nesse passeio de um dia você irá visitar a queridinha da Bélgica: Bruges. Essa cidade histórica é bem conhecida pelas suas igrejas antigas, tribunal, fábrica de rendas de travesseiro e seu agradável centro comercial. Durante a excursão você terá tempo livre para fazer compras ou simplesmente desfrutar da atmosfera única desta cidade maravilhosa!

      O ônibus parte de Amsterdam pela manhã e irá atravessar canais e estradas de tirar o fôlego ao longo da fronteira Holandesa. Chegando em Bruges, também conhecida por “A Veneza do Norte”, você irá participar de um tour guiado de ônibus de 3 horas pelo centro da cidade.

      As visitas incluídas no tour são :
      A Igreja de Nossa Senhora às margens do Canal Dijver
      A Catedral de São Salvador
      A prefeitura da Praça de Burg.

      Em seguida o passeio continuará fora do ônibus: você participará de uma excursão a pé de 30 minutos e embarcará em um cruzeiro (opcional) pelos lindos canais de Bruges, antes da viagem de retorno à Amsterdam.

      Destaques:
      Explore a capital mundial do chocolate!
      Descubra o cenário de canais em Bruges
      Aproveite uma caminhada pelo encantador centro da cidade
      Incluído: Guia e uma tour a pé opcional.

      Horário de partida:
      1 novembro - 22 março: quarta-feira e domingo às 09:30.
      23 março - 30 outubro: segunda-feira, quarta-feira, sexta-feira, sábado, domingo, às 9:30

      Ponto de partida: Damrak 26 (a 300 metros da Estação Central).

      Duração: 11 horas e 30 minutos.

      Certifique-se de chegar na hora! (30 minutos antes do horário de partida)

      abraços,

      Responder
  6. Olá! Pergunta que vale um milhão: se estiver passando uns 4 dias em Amsterdam, e for escolher um dia para um bate-volta... onde seria? Alguma outra cidade da Holanda (Haia, Roterdam, etc.)? Ou iria até Bruxelas, Bruges, Antuérpia? Abraço e muito obrigado!!!

    Responder
    • Olá!

      Irei viajar em setembro com meu marido, e gostaríamos de incluir Bruges (e provavelmente Ghent) em nosso roteiro.
      Seria viável o seguinte roteiro?: sair de Amsterdã para Bruges, passar o dia lá e seguir a noite para Ghent, dormindo lá e no dia seguinte de manhã ir para Bruxelas?

      Obrigada desde já!

      Responder
  7. Olá, boa noite.

    Muito legal o post. Estou indo para bruxelas e quero fazer um bate e volta em Brugues. É possível fazer Antuérpia e Brugues no mesmo dia? Um na parte da manhã e outro da tarde?

    É verdade que o metro de bruxelas fica de graça domingo e a passagem pra brugues fica com 50% de desconto se vc for de fora?

    Ovrigada!

    Responder
  8. Boa noite !!!! Estou indo pra Amsterdã no final de Março e queria passar uma noite em Bruges. Porém, o melhor dia pra ir seria em um segunda feira. Você sabe me dizer se os lugares abrem lá na segunda ??? Obrigada !

    Responder
  9. Ola adorei as suas dicas e vou usar todas. Estou indo para Bélgica a partir de Düsseldorf de carro e gostaria de saber se vc conhece o trechonchudo e se é tranaquilo a entrada no país vindo dá alemana. Existe alfândega? E se seria legal ir direto a bruges passar o dia e voltar à noite para Bruxelas. E em Bruxelas tem coisas interessantes? Voce tem algum guia de lá? Desde já agradeço. Se facilitar meu é mail é jaqueline [email protected] com

    Responder
    • Oi Jaqueline,

      Bruges e Bruxelals: com certeza valem a visita, tem muita coisa legal para se ver e para se fazer em ambas as cidades.
      Sobre entrar nos países de carro: desde o tratado de Schengen, não há mais controle de fronteiras entre os países que fazem parte, fique tranquila!

      abraços,

      Responder
  10. Daniel, boa noite
    Estarei em Amsterdã de 10 a 15 de dezembro, gostaria de saber sobre a excursão para Bruges no dia 14, você tem a descrição detalhada, tempo de ida, volta, permanência na cidade, tempo livre, preço do cruzeiro opcional. Tem guia em Português?
    Gostaria de informação de outros serviços em Amsterdã.

    Tadeu

    Responder
  11. Gostaria de ter noção de custos para esse roteiro:
    Chegada em Amsterdã, traslado ao hotel(aceito indicação) Hospedagem. À tarde faremos um passeio de barco pelos canais. Traslados ao porto.
    – Amsterdam
    Café da manhã no hotel. Passeio de dia inteiro em serviço privativo:
    Este estonteante passeio turístico lhe dará a oportunidade de experimentar o melhor da Holanda, em um único dia. Você vai visitar modernas cidades cosmopolitas, sofisticados resorts de praia, bem como cidades tradicionais do interior. Um guia local experiente lhe dará toda a informação sobre todos os lugares e atrações que você visita, sendo esta a forma ideal para aqueles com pouco tempo para se familiarizarem com este fascinante país.
    Depois de deixarmos Amsterdã, vamos através do plano campo holandês para a pequena cidade de Aalsmeer, famosa por ser um centro de produção de flores. Vamos parar no colorido mercado de flores e você também vai ser capaz de visitar uma oficina local, onde ainda são feitos tamancos de madeira da maneira tradicional.
    A próxima parada é Delft, famosa pela sua cerâmica azul e branca. Vamos a uma visita guiada de uma das olarias famosas da cidade e se você quiser, você poderá comprar algumas das louças delicadamente trabalhadas para levar para casa.
    Nós vamos continuar para Roterdã, uma moderna megalópole e um dos portos mais importantes do mundo. Experimente algumas das coisas de ponta da cidade antes de dirigir para Haia, capital da Holanda. Vamos passar pelo Palácio da Paz e pelo Parlamento, enquanto seu guia lhe fornece trechos fascinantes de informações sobre a vida política e cultural da Holanda.
    Depois de passar por Schevingen, um sofisticado resort de praia do Mar do Norte, vamos fazer a parada final do dia na aldeia modelo de Madurodam, onde se pode admirar alguns dos mais belos monumentos e edifícios na Holanda em escala 1/25.
    Duração: Aproximadamente 8 horas.
    Horário de Início às 9:30.
    – Amsterdam
    Café da manhã no hotel. Passeio em serviço privativo de Volendan e Marken.
    Conheça os lados urbano e rural da Holanda com este fascinante passeio guiado de um dia que engloba não só a cidade de Amsterdam, mas também um vilarejo digno de cartão-postal conhecido pela beleza dos seus moinhos de vento e as comunidades costeiras de Volendam e Marken. E ainda mais, faremos visitas especiais a uma fábrica de diamantes, um moinho de vento e uma fazenda de queijo.
    Saída em ônibus de turismo para a primeira vila de pescadores: Marken. Nosso guia comentará sobre a história e a origem do Markermeer ou Marken Lake e os famosos sapatos de madeira que são feitos neste lugar. Teremos tempo livre para passear pelas belas ruas e depois seguiremos em balsa para Volendam.
    Uma vez em Volendam visitaremos os pontos mais interessantes da cidade, incluindo o porto,o passeio aos diques, a igreja de San Vicente, Het Doolhof ou "Labirinto" bairro mais antigo da cidade, com suas ruas estreitas, placa lembrando o nível da água na enchente de 1916, a igreja reformada.
    Após a visita guiada por Volendam teremos tempo livre para comer e desfrutar um pouco mais da cidade. Então vamos nos reunir todo o grupo para voltar para Amsterdam e chegar à cidade cerca de 16: 00h.
    Duração: Aproximadamente 06h30
    Horário de Início às 9:30.
    – Amsterdam
    Café da manhã no hotel. Dia livre.
    Opcional: Passeio de dia inteiro a Bruges em serviço privativo, incluindo almoço.
    Faça um passeio inesquecível à histórica Bruges, uma cidade encantadora, também conhecida como a Veneza do Norte. DESTAQUES: * Conheça a história de Bruges * Aprecie a maravilhosa arquitetura medieval e adentre-se numa atmosfera mágica * Patrimônio Mundial da UNESCO Esta cidade, considerada patrimônio mundial da Humanidade, é famosa pelas suas igrejas antigas, elegantes mansões, becos, canais pitorescos e pelo Tribunal Beguine real. Com o nosso guia informativo ao seu dispor, conhecerá toda a história deste lugar e descobrirá o tesouro da Bélgica neste passeio de dia completo, a partir de Amsterdam.
    Amsterdam
    Café da manhã e hospedagem até às 12h. Traslado ao aeroporto.

    Responder
  12. Oi pessoal! Acabei de descobrir o blog e já veio pros meus favoritos!
    Visitei Amsterdam em maio e me apaixonei! Pretendo voltar em outubro sem dúvida. Como o plano é fazer uma viagem um pouco mais longa - moramos na Irlanda mas a família vem visitar ?? O plano é fazer o roteiro: Bruxelas-Bruges-Amsterdam-Colônia.
    Pesquisando sobre o trem de Bruges a Amsterdam e fiquei com a seguinte dúvida: faz diferença comprar online ou na hora, no preço e reserva de assento? Se eu compro um trem saindo de Bruges que faz baldeação na Antuérpia, eu posso passar algumas horas la ou preciso pegar o trem que a passagem sugere (com 20min de intervalo, por ex)?
    E sobre o trem pra Colônia, alguma sugestão?
    Muito obrigada!
    Belisa

    Responder
    • Oi Belisa,
      Bom saber que o Ducs Amsterdam está entre os seus favoritos. Agradecemos.
      Sobre trem: às vezes é muito mais vantagem comprar as passagens online. Sobre parar em Antuérpia: isso só pode caso a sua passagem não tenha horário nem assento marcado. Do contrário, não. Também sugiro comprar a passagem do trem para Colônia na internet. Se não me engano, é mais vantagem comprar na companhia de trem alemã que o bilhete também dá direito ao transporte público local na sequência,quando você descer em Colônia!

      Responder
  13. As excursões propostas pelo site são com guias falando português? Ou espanhol?
    Vamos em 5 adultos e 1 criança para Amsterdan 15 a 21/09. Van pode ser alternativa já que somos um grupo. Que achas?
    Obrigado

    Responder
  14. cara,
    achei super legal as dicas dadas. estou aproveitando-as para o nosso roteiro que se inicia em 25/06/16 por Bruges, depois Gant, Bruxelas, Antuérpia, Amsterdam e Luxemburgo. Já estou reservando no Booking (e claro, ajudando seu blog). Vamos fazer de carro, iniciando em Paris.

    Responder
  15. Olá!!
    Tenho acompanhado seu site para pegar dicas das cidades que vamos passar! Em outubro eu e meu marido iremos fazer Londres-Paris-Amsterdã e pensamos em fazer um bate e volta em bruges! O que acha? Vale a pena ou é melhor passar alguns dias lá?
    Abraços!!

    Responder
  16. Ducs,
    Estamos saindo de SP para Amsterdam dia 22/01/16 por 15 dias, queremos conhecer Holanda e Belgica, amigos nos disseram que é melhor alugar carro, outros dizem que andar de trem é mais barato, qual seria sua dica do mais barato e prático ou BBB?
    Abraço caloroso do verão brasileiro!

    Responder
    • Oi Raquel,
      Na verdade, tudo depende do que vão fazer e quanto tempo irão ficar em cada lugar. Se alugam carro, por exemplo, avaliar quantos quilômetros vão rodar ou alugar com uma companhia que garanta quilômetros ilimitados no preço. Em muitos lugares, como no centro de Amsterdam, estacionar o carro pode sair bem caro e pegar o carro num país e devolver em outro também tem taxa extra. Por outro lado, dependendo da quantidade de pessoas que estão, alugar o carro pode sair mais barato do que o valor das passagens de trem. Embora se comprar as passagens antecipadamente podem pegar uma tarifa muito boa... enfim... não temos resposta pronta, desculpe!

      Responder
  17. Olá, estou indo em maio com minha família para Amsterdam e de lá estamos querendo ir de carro para Bruges. Mas soube que fica muito caro alugar o carro em um país e devolver em outro, sabe me dizer se procede? E de Bruges pensamos em ir de trem para Paris. Tem algum dia que tem trem direto de Bruges para Paris, li que tem um aos sábados.
    Não conhecia o seu blog, mas estou gostando bastante e, com certeza, vai me ajudar muito a montar a minha viagem.
    Obrigada!!!

    Responder
  18. Boa noite!! Muito boa suas dicas, parabéns!!
    Em maio de 2016 estaremos de férias e iremos a Holanda e Bélgica. Como seria o clima nessa época? Da para aproveitar mesmo não sendo o verão quente?
    Obrigado!!

    Responder
    • Oi Elida,

      Bom que curtiu as dicas! Maio é primavera e é uma estação de temperaturas incertas. Também é possível que esteja quente como no verão. E, com certeza,é um mês ótimo para viajar. Ainda é baixa temporada, mas ao mesmo tempo as cores e as flores tornam as cidades bem especiais. Bom passeio!

      Responder

Deixe um comentário

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.