O melhor guia online sobre Amsterdam, em português” – Estadão

Viagem a Praga

por Daniel Duclos em 27/07/2010

No começo deste ano, em pleno invernão gelado, fomos visitar Praga. Apesar de conhecer Praga ser um desejo antigo nosso, turismo não foi o motivo mais importante.

É assim: sabe aqueles amigos que de tão amigos já são família? É desse jeito com o érre (tá, Rodrigo é o que tá escrito, dizem, na certidão dele) e a Aline. Foi na casa deles que tomamos o porre pré-mudança pra Holanda em 2007 e foram eles que nos levaram pro aeroporto no dia seguinte, sem balançar muito que a gente tava de ressaca.

E agora eles estavam indo visitar a Europa pela primeira vez, e iriam passar por Praga primeiro, porque o irmão do érre, o Badá, mora com a esposa, a Sarah, por lá. Oras, como resistir a amigos, mais amigos (que são inclusive locais), neve e Praga? Bora!

Praga - Prague

Planejamento: Onde ficar em Praga

Nós escolhemos um hotel exclusivamente pela localização: o mais perto possível da casa do Badá e da Sarah. Pra achar um usamos o Booking.com. Agora, "perto da casa do Badá e da Sarah" não é um critério essencial pra todo mundo, reconheço. Então, é melhor dar uma pesquisada por outros critérios. Se quiser, eu ensinei como usar o Booking pra achar hospedagem. Se você já sabe, manda ver na busca:

Planejamento: Como ir de Amsterdam à Praga

1. Trem

Dava pra considerar o trem. Tem um noturno que vai de Amsterdam até Praga direto. A viagem dura um tico mais de 14 horas, e você pode reservar diversos tipos de acomodação, com banco, ou cama, mais ou menos espaço etc. Se você tiver com energia de sobra, pode também fazer baldeações, como em Berlim, por exemplo. O melhor lugar pra pesquisar suas opções de trem entrando ou saindo de Amsterdam é via a NS Hispeed, o site internacional de trens da Holanda.

2. Ônibus

Também dá pra ir de busão (ônibus, autocarro, bumba, bus, autobus: tudo a mesma coisa, embora "busão" me torne um pouco mais velho). A famosa Eurolines oferece destinos diversos com saída de Amsterdam, e Praga é um deles. Dá uma espiada no site. É mais barato, demora as mesmas 14 horas e pico do trem, mas é bem menos confortável.

3. Avião

E é claro, tem avião, que foi o que escolhemos. A falência da SkyEurope diminuiu bastante as opções (e aumentou os preços, e deixou um monte de gente na mão). Mas como ainda tínhamos alguma antecedência, conseguimos uma promoção da KLM. Nessas horas, assinar a newsletter deles ajuda. Pros curiosos, saiu €149,00 por pessoa (ida e volta), então desencanamos de trem e ônibus e compramos a passagem da KLM mesmo.

Viagem emocionante

Parecia uma boa idéia, mas esse vôo de ida tava meio zicado desde o começo. A KLM começou a nos ligar, cada hora remarcando o vôo pra mais cedo. Havíamos escolhido sair às 8h50, acabamos, após duas ou três remarcações, saindo às 7h25. Como é vôo internacional, tem de chegar uma hora e meia a duas antes da decolagem, e daí tome os Ducs a madrugar. Sorte que morávamos perto de uma estação que tinha trem direto pro Schiphol, chegando em poucos minutos.

Quando fomos embarcar, descobrimos que nossa carruagem aérea seria o Fokker 70, que nada mais é que um busão de asas. Quando entrei no avião, procurei o cobrador, mas felizmente não tinha. Nem câmbio de caranguejo ao lado do motorista. Ufa.

No meio da viagem, eu tava lendo feliz após o sandubão da KLM, quando senti uma forte inclinação lateral, daquelas bem características de "estamos fazendo uma curva 180° em forma de U" da aviação. Levantei os olhos do livro pra encontrar os da Carla do tamanho de pires.

— Quanto tempo de vôo estamos?

— Não o suficiente…

O tempo de vôo entre Amsterdam e Praga é 1h35 e voávamos a mais ou menos uma hora.

Entrou um anúncio em holandês. Engolimos ambos em seco: "nhé, nosso holandês não é bom, entendemos errado…"

Pelo jeito o medo frio melhora o holandês das pessoas, porque havíamos entendido direitinho. Devido a um defeito técnico, a aeronave-busão estava retornando a Amsterdam. Os comissários estariam felizes em responder as dúvidas dos passageiros. As mãos pularam pro ar:

— Tovarish, eu tenho uma conexão pra Moscova e dali pra Sibéria!

— Herr Komissar, eu preciso embarcar ainda de manhã pra…

— Danem-se as conexões, que diabos de defeito técnico é esse?!

Essa era a Carla. O comissário de bordo assegurou que não era nada grave, só um probleminha de nada na asa, tudo iria ficar muito bem… O que soou parecido demais com aquelas frases de filme que prenunciam algumas horas de terror absoluto e não teve, portanto, o efeito tranqüilizante desejado. O suco da Carla tremia mais do que se tivesse turbulência quando ela segurava o copo.

No fim das contas chegamos em Amsterdam bem, pegamos outro Fokker 70, ganhamos um sanduba extra e chegamos mais tarde do que chegaríamos se tivéssemos saído às 8h50 como planejado originalmente. E no fim a Carla nem comeu o sanduba extra.

Ah, e porque voltar a Amsterdam em vez de ir até Praga? Bem, Schiphol é a base da KLM, e lá eles têm técnicos e peças, enquanto que em Praga eles poderiam ficar ilhados com a aeronave. Probleminha é? Sei. Mas vamos olhar pelo lado positivo: ganhamos dois vôos pelo preço de um! :)

Como sair do Aeroporto de Praga para o metrô

E o Badá e a Sarah ainda haviam ido ao aeroporto de Praga de surpresa, pra nos receber. Tadinhos, ficaram plantados lá esperando sem saber o que acontecia. Mas foi muito bom encontrar uma recepção de amigos!

Eles nos guiaram do aeroporto de Praga (Praha Ruzyně) até a cidade. Usamos o ônibus, e aqui estão as dicas do Badá pra ir do aeroporto até a cidade:

Existem duas linhas que ligam o aeroporto à primeira estação da linha verde (A) do metrô (Dejvická), a 119 e a 254. A 119 tem um trajeto mais direto, enquanto que a 254 dá um pouco mais de volta, mas no fim o tempo de trajeto é mais ou menos o mesmo, então pode pegar a próxima que sair. Há também a opção da versão "expressa" da linha 119, o AE. É o mesmo trajeto, mas pára somente no aeroporto e no metrô, sem paradas intermediárias. E por fim, a linha 100 liga o aeroporto à linha amarela (B) do metrô, embora a maioria dos turistas deva usar a linha verde mesmo.

Veja o mapa do metrô de Praga.

Mais pra baixo eu vou falar do transporte de Praga, aí tem mais dicas.

Coroa Tcheca

O dinheiro da República Tcheca é a Coroa Tcheca. Parece que pra converter pra real era fácil — algo como dividir por 10 — mas pra euro é um pouco mais complexo, um euro custando cerca de 24 ou 25 coroas. O efeito resultante é que eu não tinha muita idéia dos preços. O número grande assustava, mas depois eu fazia uma conta e ficava mais aliviado. O que não acontecia na Suíça, pra onde viajamos em 2009. Lá, eu via a conta em CHF e saltava da cadeira: "puta merda, QUANTO?!'", pra a seguir me acalmar e lembrar "ah, tá em CHF, deixa eu converter pra euro…", só pra berrar "puta merda QUANTO?!" de novo. A Suíça é cara.

Não a República Tcheca, na verdade. Os preços eram em geral bem razoáveis. Comida é especialmente barato. Claro, nós comíamos fora do centro turístico, cortesia de nossos amigos locais, mas ainda assim não era caro. E cerveja é mais barata que água na República Tcheca :) Uma refeição com bebida (*cof* cerveja) pra duas pessoas saia uns 10 euros (250 coroas), fora do centro. Conta fechada, com tudo. Talvez o centro turístico seja o dobro disso, o que ainda é barato, especialmente pra quem está acostumado com Amsterdam. Lugarzinho caro pra comer (a não ser que você siga as dicas de onde comer barato em Amsterdam que eu escrevi é claro :) )

Confesso que eu tive momentos de flashback dos meus tempos do Cruzeiro (a moeda, não o time), com coisas simples custando números altos. Isso me levou a fazer diversas piadas infelizes com os meus anfitriões, quando eu pegava uma moeda de euro ("veja, acabei de dobrar o produto interno bruto da República Tcheca" ou "Achei 5 euros no bolso, acho que vou comprar uma cidade aqui". Não tenham dó deles, eles se vingaram quando vieram visitar Amsterdam logo depois, com suas próprias piadinhas. Eu ouvi mais ou menos quieto, já que mereci e também porque eu não tinha resposta na maioria das vezes. Dica: se provocar o Badá, güenta a volta :) )

Pra sacar coroas Tchecas eu simplesmente usei meu cartão de banco holandês, que é parte de uma dessas grandes redes de cartão, saquei a moeda local e deixei ele converter na minha conta bancária. Se não quiser usar o truque de sacar direto do caixa com as redes Maestro/Visa Electron/Cirrus e quetais, tem casa de câmbio no aeroporto e centro. Euro, até onde eu vi, não é aceito.

As moedas são: CZK 1, 2, 5, 10, 20, 50. Notas tem de CZK 50, 100, 200, 500, 1000, 2000, 5000.

Comendo em restaurante em Praga

Um país carnívoro

A República Tcheca é profissa no lance de ser carnívora. Pra eles frango dá em árvore e peixe nem cheguei a ver (talvez por eles não terem mar e ficarem com pesca de rio apenas, mas tô especulando. Pode ter sido só coincidência). Há quem diga o contrário, mas a minha experiência é a seguinte: vegetariano, na República Tcheca, quer dizer alguém que não come exclusivamente bacon no café da manhã. Chegamos a ver no menu de um restaurante uma sessão chamada "vegetarian" (era um menu em inglês, outra raridade). Um dos ingredientes da salada era bacon. Heh. Bem, eu gosto de bacon :) Mas vegetarianos de verdade, estejam preparados.

Decida rápido e nada de enrolar na mesa

A etiqueta dos restaurantes tchecos é peculiar. Quando se acaba de comer, eles tiram o prato na hora, mesmo que os outros não tenham terminado. Vão tirando conforme as pessoas vão terminando. E se todos terminaram, logo vem a conta. Não leve pro lado pessoal, é assim. E ao entrar, saiba o que irá querer. Muito rapidamente virá o garçom/garçonete pegar o seu pedido é bom você saber já o que quer. Ele não ficará muito feliz em voltar, se você precisar de mais tempo pra decifrar o menu em tcheco.

Inglês x tcheco nos restaurantes

Ah é, topamos com muito restaurante com menu somente em tcheco e garçons que não falavam nada de inglês (teve jantar que fizemos do pedido à negociação de gorjeta através de gestos e números escritos).

Só que isso também é porque procuramos evitar o centrão turístico e fomos a uns restaurantes mais roots, daqueles onde o povo come, alguns com PF, nesse estilo. Não foi um "problema" que encontramos, foi uma escolha que fizemos por ter uma experiência diferente, e inclusive pagamos mais barato nas refeições, o preço real, não o menu-turista.

Pratos típicos

Uma vez eu, em desespero, vendo um menu inteiramente composto na língua local, perguntei o que era determinado prato. O garçom respondeu com uma das cinco palavras em inglês que ele sabia:

"Bird".

OoooOOoquei. Certo. Huh... pedi então o tal "bird". Que tipo de ave era, frango, pato, se era assado, cozido ou algo diferente nunca saberei, porque após pedir fui informado de que não tinha. Heh. Apelei então pra um prato que todo restaurante tcheco sabe fazer ao menos uma versão razoável: o guláš (diz-se goulash). Mas é o goulash no estilo tcheco. Vem carne picada (carne de vaca ou porco), molho e é acompanhado de knedlíky. Esse knedlíky é uma massa cozida, feita à base de farinha ou batata e que acompanha uma multidão de pratos na República Tcheca. Em inglês é traduzido como "dumpling", que é o nome genérico em inglês pra bolas de massa.

Se você preferir experimentar um prato mais típico da República Tcheca, peça o Svíčková. Tá, tó um link pra Wikipedia em inglês. Conselho de amigo, aponte em vez de falar :) Eu não cheguei a pedir um pra mim, mas a Carla pediu e experimentei o dela. É bem gostoso.

Comida de rua em Praga

Ir a restaurantes é legal, mas a turma que estávamos era bem fã de comida de rua, daquelas de barraquinhas. E nos divertimos pedindo street food pra comer com cerveja, de pé no friozinho estimulante de -3°C.

Prague - Praga

Sanduíche de lingüiça

De 50 a 80 coroas compram pra você um sanduba de lingüiça numa das diversas barracas de rua espalhadas pela cidade, especialmente no centro. Existem lingüiças de diversos tipos e carnes. Vem com mostarda (de verdade, não aquela gosma amarela que por algum motivo é chamado de mostarda no Brasil) e ketchup a gosto. Eu curtia acompanhar ela com uma Budvar (a verdadeira e original Budweiser), mas a barraquinha vende outras bebidas além de cerveja. Até água, se seu delicado estômago assim exigir (...como último desejo, porque se seu estômago é delicado, almoçar salsichão em barraquinha nas ruas de Praga não é a idéia mais esperta do mundo. Né?)

Prague - Praga

Munch, munch

Cerveja Tcheca: a Budweiser original

Cê sabia que a Budweiser originalmente é uma cerveja Tcheca? Não tem nada que ver com aquele líquido amarelo e vil que os americanos consomem. A história é assim:

Budweiser em alemão quer dizer "algo ou alguém da cidade de Budweis" (em tcheco, a cidade chama České Budějovice), na Boemia. Lá, havia uma cervejaria que produzia cerveja com nome de Budweiser (como se fosse uma cerveja produzida em São Paulo com o nome de "paulista"). Em 1876, dois caras nos Estados Unidos "inspirados" pela cerveja da Boemia, começaram a fazer uma também, e chamaram de Budweiser também, pra dizer que era uma cerveja no "estilo da Boemia". Isso deu diversas confusões e disputas de trademark até recentemente, e até hoje a agüinha amarela americana é vendida na Europa com o nome de Bud, pra não confundir com a Budweiser Budvar, a cerveja original.

Presunto de praga

Aqui em Praga a carne é bruta, assada na rua, cortada em cima do fogo pro seu prato de plástico. Eu tava indo de lingüiça, mas o érre pediu um desses e, né, fui obrigado a experimentar. É uma delícia, e recomendo com ênfase. Tuche mostarda e mande ver.

Prague - Praga

Trdelník pra sobremesa

Trdelník é um doce tradicional, e também estava à venda nas ruas. É feito de massa enrolada ao redor de um espeto, deixando-o oco no meio. Ele fica assando e é servido com açúcar em cima. Achei gostosinho, mas nada de especial. Veja a cara dele:

Prague - Praga Prague - Praga

Atrações turísticas de Praga

Vimos algumas, apesar de turismo não ser o motivo principal da viagem. De vez em quando, perambulando pelas ruas de Praga o Badá parava, coçava a barba, apertava os olhos num grande esforço de memória e dizia algo nas linhas de "aqui... aconteceu algo... foi importante... e isso é... tipo... muita gente vem aqui ver isso. Deve ser importante..." Memória turística não é o forte do Badá, mas tente acertá-lo com uma bola de neve (mesmo atraiçoá-lo e covardemente atingi-lo por trás não funciona: ele desvia instintivamente, e prepare-se pra receber um contra-ataque gelado de alto impacto no seu beijador — ou orelha, se estiver sem sorte).

Enfim, com os lapsos de lembrança do Badá, fotografamos e vimos algumas das atrações de Praga.

1. Relógio astronômico de Praga (Pražský orloj) e Praça da cidade velha (Staroměstské náměstí)

Localizado na Praça da cidade antiga (Staroměstské náměstí, sorte lá pronunciando), o relógio é uma obra de arte em movimento, e está instalado na parede lateral do antigo Town Hall (prefeitura). Ele mostra além das horas, hora do pôr-do-sol, aurora, tempo sideral e mais um monte de coisas que farão seu lado nerd se divertir por horas lendo a Wikipédia pra entender. Ou você pode apenas apreciar a beleza do conjunto. De preferência quando der a hora inteira, momento o qual as figuras do relógio ganham movimento e se apresentam pra turistada (nós).

Prague - Praga

No dia em que fomos estava uma neve razoável, o que tornou tudo mais... interessante.

Prague - Praga

2. Ponte Carlos — Charles bridge (Karlův most)

É uma das atrações mais famosas de Praga, a ponte histórica sobre o rio Moldava (Vltava em tcheco) cuja construção foi iniciada no século XIV no reinado do Rei Carlos IV (Karel IV). Segundo a Wikipedia, foi a única maneira de cruzar o Moldava até 1841, e servia de conexão entre a cidade antiga e o Castelo de Praga, tornando Praga uma rota comercial importante entre Oriente e Ocidente.

A propósito, uma dica do Badá: os tchecos ficam meio ofendidos quando as pessoas se referem à República Tcheca como "Europa Oriental". Segundo eles, a República Tcheca fica na Europa Central, no que são apoiados pela geografia (ou seja, eles estão certos).

Voltando à ponte, ela é lindamente adornada por estátuas que só notamos quando estávamos juntando neve pra mais munição... hã... quando paramos pra admirar o lindo trabalho artístico. Infelizmente as estátuas hoje são na maioria réplicas, sendo as originais danificadas em sucessivas enchentes do Moldava.

Aliás, o Badá mostrou pra gente a marca na ponte (e em uma estação do metrô) do ponto mais alto atingido pela água em uma inundação, que ocorreu em 2002. Foi meio apavorante de ver. Ainda bem que moro na Holanda, onde a altitude do aeroporto mais importante é menos seis metros e o mar é mantido do lado de fora do país por diques. Ufa! Agora sim estou tranqüilo!

3. Castelo de Praga (Pražský hrad)

Do "outro lado" do Moldava, numa posição elevada, o Castelo de Praga observa e guarda a cidade há mil anos. Um dos maiores castelos do mundo segundo o Guiness (segundo a Wikipedia), é difícil não notar a construção e não se impressionar com ela. Tem sido sede do governo através dos tempos, hoje em dia inclusive.

Prague - Praga

Castelo supervisiona a cidade

Eu subi até ele, mas quando já estava tarde, então não fiz uma visita extensa ou às partes que requerem tickets (que já estavam fechadas). Há uma página em inglês com todas as informações sobre preços e horários pra visitar o Castelo de Praga.

A região em volta do Castelo também é bonita.

Praga - Prague Praga - Prague

4. Casa dançante - arquitetura de Praga

Tá, não é assim uma mega atração a ponto de você precisar ir ver, mas é interessante de reparar se você estiver passando na frente. A casa que foi projetada pra parecer, ou lembrar, um casal dançando, abriga a Nationale-Nederlanden, uma das maiores companhias de seguro holandesas, e olhaí uma conexão Holanda-Praga! :)

Prague - Praga

Mas na verdade, o interessante é reparar nos prédios e arquitetura de Praga em geral. É uma cidade linda, cheias de surpresas, algumas bem arrojadas, como esse prédio, ao meio de um estilo mais clássico. Só andar e olhar a cidade já é uma atração.

Prague - Praga Prague - Praga

5. Cemitério Olšany (Olšanské hřbitovy)

Esse é o maior cemitério de Praga, mas não é considerada uma atração da cidade. Fomos lá porque o érre queria caçar um Geocache.

Geocache é uma atividade/esporte/brincadeira/jogo que funciona assim: alguém esconde um container, chamado de geocache ou simplesmente cache, e anota as coordenadas de GPS. Daí vai e publica em um site, onde outras pessoas acessam e saem pra procurar. Tipo uma caça ao tesouro high-tech. Dentro do conteiner em geral tem um registro pra você escrever o seu nome e ver o nome de quem achou. Também pode ter uma lembrança (que se você retirar, deve deixar outra), enfim, há diversos tipos de coisas que podem ser feitas.

Mas também é um jeito de explorar lugares novos ou mesmo redescobrir áreas familiares. Alguns dos geocaches são bem criativos e estão bem escondidos. O érre tinha visto que havia um nesse cemitério de Praga e resolvemos ir lá procurar.

Praga - Prague

Como estávamos no inverno e a neve cobria a cidade, foi uma experiência e tanto, andar pelo cemitério. Enquanto o érre procurava o cache, eu tirava fotos e as garotas conversavam. Certa hora elas voltaram meio apavoradas. Ok, cemitério nevado em Praga, o que há pra assustar? Que tal isso: certa hora, um grupo de 4 pessoas passou por nós, uma delas carregando uma pá. Elas não deram muito tento, afinal, o que alguém iria fazer com uma pá em um cemitério?

Dali a pouco elas viram o mesmo grupo perambulando... só que dessa vez havia apenas três pessoas.

Hã... érre, meu chapa e se a gente, tipo, fosse fazer outra coisa em vez de procurar o cache, tipo, por exemplo, correr como loucos em pânico? Hey, eu tenho uma superstição contra pessoas desaparecendo em cemitérios nevados enquanto acompanhadas de outras pessoas portando pás!

Tá bom, não corremos, mas fato foi que o érre não achou o cache. Parece que não deu tempo.

Praga - Prague

As garotas, calmas antes do encontro.

Praga - Prague

Eu, arrepiado? Hã… é de frio.

6. Bairro Judeu (Josefov) e Franz Kafka

O antigo gueto judaico de Praga fica na cidade velha, mas muito do que é hoje um bairro foi destruído entre 1893 e 1913 (A fonte é, de novo, a Wikipedia).  Restam algumas sinagogas e, infelizmente, alguns sinais atuais de estupidez humana, como a inscrição "Fora Judeus" em uma porta.

Prague - Praga

O bairro judeu é o local de nascimento de Franz Kafka, um astro pop/cult da cidade. Eu me pergunto quanto dos turistas que compram as canecas do atormentado escritor realmente leram algo dele. Não é, garanto, uma leitura tranqüila. Os escritos de Kafka tem a lógica dos pesadelos, e quando o li pela primeira vez aos 15 anos (A metamorfose), fiquei... impactado. Eu acho que ler Kafka aos 15 anos é muito mais perigoso pra mente adolescente do que coisas inócuas como ver uma dessas atrizes nuas, entretanto é a Playboy que é vendida em saquinhos plásticos, curiosamente.

Hoje há um restaurante que fica no local de nascimento do autor, a casa original foi demolida há tempos. Mas existe o museu do Kafka em Praga, de inauguração recente. Durante o governo comunista, o gênio literário não era exatamente bem visto. Ao contrário, era ativamente ignorado pelas autoridades. Não cheguei a visitar, mas se você quiser ir lá, a página deles tem versão em inglês.

Enfim, sou grande fã de Kafka (embora eu vá colocar meus livros dele na prateleira mais alta quando tiver filhos). Ou então quando meu hipotético filho adolescente reclamar da minha tirania, darei "Carta ao pai" pra ele ler. Heh, vai ser divertido.

Transporte público em Praga

No que usei, o transporte público de Praga é bastante eficiente. Têm ônibus, trams (tram é bonde) e metrô. O tram possui desde modelos mais antigos até uns bem modernos. O metrô é eficiente, e bonito, inclusive. E fundo! Pra cobrir as grandes distâncias entre a entrada e a plataforma, as escadas rolantes são as mais rápidas que eu já vi. É impressionante: fique esperto na hora de entrar e sair de uma.

Há máquinas de venda de passagens, mas elas só operam com moedas. Nas estações de metrô e no aeroporto há guichês de venda, mas não testei se aceitam cartão: usei apenas dinheiro. Em algumas estações de metrô, se você for usar a máquina, aparece do nada uma pessoa oferecendo ajuda — em troca de uma gratificação depois. A Aline e o érre inclusive desistiram de comprar o bilhete uma vez devido ao assédio de uma dessas pessoas.

Praga - Prague

Os bilhetes são vendidos também em bancas de jornal e escritórios de turista.

O bilhete deve ser validado no início da sua viagem. Dependendo do bilhete que você comprar, ele vale por um período de tempo, e pode permitir trocas entre ônibus, tram e metrô. Existem passes de 1, 3 e 5 dias. Veja a lista completa de preços pro transporte em Praga (em inglês). Aliás, o site da empresa de transportes de Praga é excelente, e tem muita informação (e inclusive permite calcular rotas). De novo, dica do Badá.

Prague - Praga

Neve e frio no inverno de Praga: diversão e cuidados

Quando estávamos planejando a viagem, ficamos apreensivos com o frio. Em certos momentos no inverno, dizem, pode chegar a fazer -20°C, e se minha experiência diz alguma coisa, isso é frio pra cacete. Nos preparamos pesadamente, e no fim das contas, o frio nem foi tanto. Deu até pra dar uma nadadinha no Moldava (não nós, obviamente). Ok, tava variando ai na casa dos -3°C. Alguns dias ficou até ligeiramente positivo, o que é bem ruim se você tem neve até a o joelho por toda a cidade. A neve começa a ficar líquida e aí vira uma grande pasta.

Prague - Praga

Mas na maior parte do tempo ter neve por toda parte foi divertido e muito bonito. Pra comemorar o passado atrás da cortina de ferro da República Tcheca (na época em que era Tchecolosváquia), instauramos uma guerra fria permanente pela duração de nossa visita. Por guerra fria quero dizer fria, molhada e vindo em sua direção em alta velocidade. Batalhas épicas foram travadas pelas ruas de Praga (com nenhum civil atingido, vamos deixar claro), quedas históricas nos campos nevados, esquivas mágicas (já viu Matrix na vida real?) e contra-ataques relâmpagos. Alianças foram feitas e traídas, e a neve foi uma parte importante da nossa diversão em Praga. Inclusive fizemos um boneco de neve na despedida da cidade (devidamente destruído a golpes de kung fu da Sarah. Na verdade, a golpe, singular, de kung fu).

Praga - Prague

Últimos instantes de vida do boneco

O único problema que aconteceu foi minha bota Salomon pedir as contas sem aviso prévio depois de 5 anos de serviço. Ela abriu na costura entre a sola e o corpo, e entrou neve lá, que derreteu no quentinho do meu pé, que ficou molhado. Já tentou andar com o pé molhado a -3°C por 3 dias? Não recomendo. No fim das contas comprei uma bota de neve extremamente barata, que me parece ser o equivalente tcheco de chinela de dedo pro brasileiro. Robusta e funcional, manteve meu pé quentinho no fim da viagem, e inclusive continuei usando em Amsterdam. Mas a medida chegou tarde demais pra evitar uma gripe que se instaurou por duas semaninhas.

Prague - Praga

Tênis simples não são recomendados se você for andar na neve, e cuidado com dias que fazem temperatura positiva pra depois ver uma queda pra sub-zero a noite: a neve vira água e depois recongela como gelo, e aí fica escorregadio e perigoso. E é difícil de enxergar. Ah, e preste atenção aos telhados e ao andar na beira de prédios. Podem cair estalactites de gelo grandinhas, e isso machuca. E de vez em quando, os tchecos tiram a neve dos telhados. Em geral a área é isolada com um cordão. Se você ver uma calçada fechada, não ignore, passando por baixo da fita. Não é uma boa idéia.

Prague - Praga

Fique ligeiro

Ah, e cuidado com os carrinhos que passam tirando a neve das calçadas. Eles buzinam, mas não brecam. Sério.

Continuando a viagem: "Dicas locais de como aproveitar Praga na primavera e verão"

A Sarah e o Badá escreveram um artigo aqui no Ducs dando dicas de como aproveitar Praga na primavera e no verão. Mas o legal é o seguinte: como eles moraram na cidade, são dicas locais, de morador mesmo.

Se você tá indo pra Praga nessa época recomendo altamente você ler 4 Dicas locais pra aproveitar Praga na primavera e no verão.

E por aqui, se tiver alguma dica legal de Praga, compartilha com a gente nos comentários!

Esse artigo é dedicado aos amigos Badá, Sarah, érre e Aline.

Daniel Duclos (Daniduc), é um brazuca que mora na Holanda com a esposa, também brasileira, desde novembro de 2007. Criou o Ducs Amsterdam, o qual escreve, fotografa e edita. Em 2011 lançou um guia de Amsterdam e virou pai de uma linda garotinha, com quem redescobre o mundo todos os dias.


Procurando hotel pra sua viagem?

Eu escrevi um artigo com muitas Dicas de hospedagem.

Se você fizer sua reserva através dos links aqui no Ducs, eles repassam uma comissão pra gente. Então é uma forma de apoiar o Ducs em Amsterdam e ainda descolar um lugar legal, ter suporte em português! :) Todo mundo ganha!

Ah... e o Booking lista hotéis no mundo todo! Não precisa ser só em Amsterdam!

Ingressos pra atrações em Amsterdam

Outro jeito bacana de retribuir o Ducs e ainda se dar bem é comprar ingressos online comigo. Assim você evita ficar tomando vento em fila quando você devia estar passeando e dá uma força preciosa.

Dá uma olhada na página de ingressos do Ducs Amsterdam!

Ah, e se você está querendo comprar passagens aéreas, o Ducs Amsterdam tem uma parceria com a KLM:

Pessoal, o Ducs só existe com a força de vocês! Então, divulguem, comentem, usem os serviços que o Ducs oferece e vamos que vamos! Obrigado sempre!

Algo a dizer? Manda bala! :)

(Ah, você tem uma dúvida? Leia antes a FAQ. É sério! A maioria das respostas tá lá...)

Outra coisa que é importante é habilitar receber notifcações de novos comentários por email, porque tem um monte de gente que faz uma pergunta em um post aleatório e depois esquece onde fez a pergunta, nunca vê a resposta e acha que não foi respondido, quando na verdade a pessoa é que esqueceu onde que foi... com o aviso por email isso não acontece.

Você leu a Política de Comentários aqui no Ducs?

Comentários escritos TODO EM CAIXA ALTA não serão aprovados.

Dê lá o seu recado!

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

{ 84 comentários… leia abaixo ou deixe um }

Roselle novembro 12, 2014 às 12:54

Oi, Daniel! Primeiramente, parabéns pelo seu blog. Te acompanho já há alguns anos. Suas dicas para Amsterdã foram essenciais para o sucesso da minha viagem. Obrigada!
Queria a sua opinião: Tenho 8 dias para distribuir em uma viagem. Berlim já está definido. Minha dúvida é se vale a pena passar 5 dias em Berlim e 3 dias em Praga, ou se vale mais a pena reservar os 8 dias para conhecer Berlim e arredores. É para Dezembro agora (de 21 a 28).

Responder

Daniel Duclos novembro 12, 2014 às 15:34

Roselle, isso é altamente pessoal, na verdade, porque são duas viagens diferentes e não tem escolha errada; depende do seu estilo e da sua vontade. Seja o que você escolher, vai ser bacana. Vai ter gente que vai dizer “só Berlim”, tem gente que vai dizer as duas, eu vou manter: vai ser legal independente.

Responder

Simone de Castro abril 24, 2014 às 19:07

Acompanho o site de vocês há muito tempo! adoro as dicas, o texto e as fotos. Sou fã! Parabéns pela chegada da filhota!
Suas dicas foram preciosas quando visitei Amsterdã pela 1a vez. Visitarei Praga em fevereiro de 2015, alguma dica sobre o clima nessa época?
abraços

Responder

Daniel Duclos maio 7, 2014 às 19:42

Deve ser bem parecido com o clima de janeiro, quando fomos e descrevi nesse post. É frio :)

Responder

Letícia abril 4, 2014 às 14:32

Oi Daniel, eu e meu marido pretendemos ir pra Europa em janeiro próximo, pretendemos ir pra Praga, Amsterdam e Paris… adorei esse seu post, porque vamos no inverno também rsrs… já li todos seus posts também de Amsterdam, adorei seu blog! Obrigada por todas as suas dicas!

Responder

Daniel Duclos abril 4, 2014 às 18:46

Foi um prazer Letícia, boa viagem!

Responder

Sandro Souza novembro 9, 2013 às 03:53

Daniel,

Parabéns pelo site e excelente serviço que faz oferecendo dicas, orientações e avisos aos viajantes.
Farei uma viagem pela Europa em Dezembro e no roteiro está Amsterdam, Praga e Paris.
Suas dicas de Amsterdam e Praga foram muito úteis para elaborar meu roteiro.

Responder

Daniel Duclos novembro 9, 2013 às 10:57

Fico muito feliz em saber, Sandro, valeu! E não esqueça de dar uma fuçada nas dicas de Paris também: http://www.ducsamsterdam.net/paris-dicas-locais-comida/ Grande abraço e boa viagem.

Responder

Renata novembro 7, 2013 às 17:16

Estou programando uma viagem pela Europa de um mês agora no começo de dezembro e no roteiro está Praga e Amsterdã. Ando lendo bastante seu blog e tem sido MUITO útil. Não sou de comentar em blogs, mas precisei para uns minutos e dizer que seu trabalho é impressionante! Tem me salvado em várias duvidas e me ajudado muito ao programar a viagem.
Parabéns, é incrível seu trabalho e sua dedicação, obrigada por todas as ajudas hehe

Responder

Daniel Duclos novembro 8, 2013 às 17:21

Oi Renata. Poxa, obrigado!! :D Fiquei muito feliz e honrado! Um grande abraço e boa viagem!

Responder

Alessandra Pires julho 30, 2013 às 23:14

Olá Daniel. Tenho pegado dicas preciosas nos seus comentários. Vou ficar um mês na Europa fazendo várias cidades, já fiz reservas, já comprei passagem de trem ou de avião, mas ainda falta uma que estou ficando bem temerosa. Quero ir de trêm de Amsterdã para Praga no dia 28 de outubro. Até agora a venda dos bilhetes não está disponibilizada. Existe alguma chance de não ter nenhuma viagem neste dia para Praga? A minha ida de Praga para Barcelona já está comprada e não aceita modificações…. Estou em desespero….

Responder

Flávia maio 27, 2013 às 02:54

Parabéns pelo post…
Vou fazer uma viagem pra Europa em setembro e estou lendo sobre as cidades pra escolher pra onde ir além de Londres (meu sonho há muitos anos)… Caí no seu site quando procurava por Amsterdam, mas adivinhe? Além de Amsterdam, fiquei com muita vontade de conhecer Praga… É uma pena que eu só tenha 20 dias…
Abraços…

Responder

Maíra Zanutto maio 19, 2013 às 08:51

ah, não me lembro se mencionei… Mas estarei em Amsterdam daqui exato um mês, entao se eu comprar os tickets por aqui sao 30 dias de antecedência :)

Responder

Maíra Zanutto maio 19, 2013 às 06:19

Muito legal o seu blog, Daniel, pode ter certeza que está sendo muito útil para meu planejamento de viagem, dicas valiosas!

De Amsterdam iremos para Praga. A nossa primeira opção é o trem noturno. A questão é: se eu comprar os tickets agora, pela internet, eles saem muito mais baratos se eu comprar quando já estiver em Amsterdam? A diferença é grande?

Optamos por viajar na cabine Couchette, o meio termo entre o assento normal e as cabines com cama, afinal são 14h de viagem. O problema é que, pelo site da NS Hispeed, não é possível escolher entre as opçoes de cabines para 4 ou 6 pessoas (o valor é o mesmo E como é uma viagem de família, preferimos a cabine para 4, assim viajamos menos apertados e somente com uma pessoa estranha. Encontrei o alemão DB Bahn, que dá essa opção, porém ele é um pouco mais caro que o NS Hispeed.

Comprar “no escuro” com a cia. holandesa saem 207 Euros. Com a DB Bahn, na opcao que queremos, 297 Euros. Se eu comprar na hora (daqui um mês), vai sair mais caro que isso?

Obrigada pela ajuda!

Responder

Daniel Duclos maio 27, 2013 às 01:48

Eu Não sei dizer Maíra, eu só fiz Amsterdam-Praga de avião, nunca de trem. em geral comprar antes sai mais barato, sim, mas não vou te garantir que é esse o seu caso.

Responder

Gabriel fevereiro 26, 2013 às 04:07

Estive em Praga no fim do ano… Frio porém sem neve…ainda sim a dica do assado de presunto caiu tãããão bem!!! hehehe Valeu demais!!! e realmente o detalhe de xuxar muita mostarda é essencial!

Responder

Gerinaldo Lima fevereiro 7, 2013 às 23:01

Uma confissão não conseguir ler tudo, mas tudo que li é muito agradavel.
Não entendir porque seu amigo começa o nome com letra minúscula,o érre?????

Responder

Daniel Duclos fevereiro 7, 2013 às 23:03

É uma longa história, Gerinaldo, mas vamos dizer assim: é por tradição. :)

Responder

Luisa fevereiro 1, 2013 às 15:15

Olá, Daniel
Fiquei com saudades de Praga ao ler seu artigo. Cidade linda mesmo! Acho que vale comentar, para um turista brasileiro meio distraído, que o povo de lá é mais fechado mesmo (pelo menos para mim). Ao falar isso, respeito as diferenças culturais, é claro, mas penso em contribuir para que o turista sinta-se bem, sem criar algumas expectativas nesse sentido (que são comuns, afinal). Sei que devemos ser cuidadosos em lidar com as diferenças sempre, mas é que lá isso ficou mais presente para mim. As vezes, “dei sorte”, não sei se vc concorda.
Abraço,
Luisa

Responder

Daniel Duclos fevereiro 6, 2013 às 02:03

Liusa, até que achei mais fechados mesmo do que, por exemplo, os holandeses e os portugueses. Mas também não sei o quanto se deve a outros fatores, como a língua (muito comum os holandeses falarem inglês e , bem Portugal). Ou, sei lá, ser um país do antigo bloco comunista, fechado pro turismo ocidental até relativamente pouco tempo atrás. Enfim, é curioso memso notar isso. Abs

Responder

Paula novembro 4, 2012 às 16:41

Olá Daniel, gostaria de uma opinão de algúem com mais experiência em viagem. Vou para Europa em julho/2013 com meu marido. Nosso destino, inicialmente era Roma – Paris -amsterda. Ficaríamos 5 dias inteiros em Roma, 7 em Paris e 3 em amst. Contudo, durante as leituras e pesquisas, nos apaixonamos por Praga e estamos muito inclinados a incluir a cidade no nosso roteiro. Assim, a ideia seria sair de Amsterda (avião) com destino a Praga (4 dias) e de lá retornar ao Brsail. Sei que é um pouco fora de rota, mas acho que é viável. O que me diz? Ess viagem de Amst. para Praga é tranquila? Fico me perguntando se não seria mais lógico estender minha estadia na Itália….alguma opinião?

Responder

Daniel Duclos novembro 5, 2012 às 19:47

Oi Paula

Não vejo como você possa sair perdendo ou errar nessa. A Itália é sensacional, Praga também. Vai dar certo de toda forma, é mais uma questão de ver seus custos e tempo e pique. Eu contei sobre a viagem Praga-Amsterdam nesse post, então é isso o que tenho a dizer sobre ela. E, de toda a forma, a Europa sempre tem um bom motivo pra você voltar :) Abraço e boa viagem

Responder

Paula novembro 5, 2012 às 21:29

Que bom, precisava de um incentivo! Obrigada

Responder

Aninha Sanchez outubro 29, 2012 às 17:54

Olá Dani! Td bem?! Quando fomos para Amsterdam, 2 anos atrás suas dicas e recomendações foram de grande valia. Agora estamos planejando uma viagem para Praga, seguindo para Viena e Budapeste. Quando viajamos gostamos de ver os pontos recomendados pela maioria dos sites, mas na hora de saborear os pratos locais, adoramos ir a restaurantes locais, não importa se a comunicação às vezes é difícil, acho até que faz parte da viagem. Em Florença fugimos daquele centrinho e fomos a pequenos restaurantes recomendados pela dona da pousada, SHOW!!! Você nesse texto fala exatamente sobre estes restaurantes frequentados por moradores e eu pergunto: tem alguns para nos indicar? ficam em bairros seguros para um casal ir a noite e voltar mais tarde com algumas cervejinhas na cabeça? rs fico aguardando! obrigada! e continue postando!

Responder

Daniel Duclos outubro 30, 2012 às 00:04

Aninha, dá uma lida nesse post dos nossos amigos que moravam lá e nos guiaram: http://minhavidaempraga.wordpress.com/2010/07/29/como-nao-comer-carne-em-praga/ é o máximo de indicação que te posso dar. Abs

Responder

Cristina outubro 17, 2012 às 14:52

Pôxa cara, ler o seu texto foi realmente divertido, gostoso..
Não és cansativo, pelo contrário, passaria o dia a ler as suas cenas!! Sobre Praga, me identifiquei várias vezes, no entanto estive por lá no verão e agora penso voltar, para passar a virada de ano!! Queria neve, mas acho que nesta altura (DEZ,JAN) ainda não deve rolar…ou até ai na Holanda!!
Olha Dani…se puderes me dar umas dicas, agradeço de coração…. Preciso marcar a viagem e não faço idéia de onde ir!! Moro em Lisboa a 9 anos..adoroo viajar tb, mas pena não ter este seu “dom” em escrever assim…
Não te encontrei no FB…. mas gostaria de voltar a falar contigo!!
Mas não esqueçaaa…help me pleaseee
Beijão

Responder

Daniel Duclos outubro 17, 2012 às 14:55

Oi Cristina, bom demais saber que curtiu o meu texto :D

Estou no Facebook aqui: https://www.facebook.com/ducsamsterdam ou procure por Ducs Amsterdam

Eu não entendi direito sua dúvida… :/

Bjs

Responder

Diego agosto 16, 2012 às 04:09

Duc, muito legal seu blog!! varias dicas legais!! E pelo seu jeito de escrever tá na cara que é Paulistano como eu!! ahahaha

To indo pra Londres, Amsterda, Praga e Berlin a partir de amanhã!! Varias dicas aqui vão valer a pena!!

Tudo de bom! muito sucesso e um abraço!

Responder

Daniel Duclos agosto 17, 2012 às 19:55

Fala Diego! E o mais engraçado que já me disseram a mesma coisa “tá na cara que é carioca como eu” e até “gaúcho como eu” :) Na verdade eu sou capixaba, filho de gaúchos, morei em POA, Floripa e em São Paulo (por muito tempo, de onde vem meu sotaque paulistano que você identificou :))

Abraço

Responder

Patricia junho 24, 2012 às 04:04

Muito legal seu site Daniel, estarei em Praga em agosto e estou pesquisando dicas sobre o lugar, seu texto é super engraçado e consegui até rir da situaçao do voo da KLM mesmo sendo uma medrosa de carteirinha quando o assunto é avião. bem legal mesmo, parabéns e sucesso!

Responder

Gisele janeiro 29, 2012 às 15:32

Fui a Amsterdam ano passado e li MUITO seu blog. Hoje vim só matar saudade e descobri posts sobre 2 destinos da minha próxima viagem: Praga e Berlim. Oba!!!
Só queria deixar registrado que seu blog é definitivamente o MELHOR blog de viagem que eu conheço! Pelas informações completíssimas e pelo texto tão agradável! Fez minha viagem a Amsterdam muito melhor.
Obrigada!!!

Responder

Santiago janeiro 4, 2012 às 01:38

Cara, parabéns pelo site. Foge completamente do amontoado tedioso de bobagens que a gente lê na internet.
Tenho (firmes) planos de ir a Praga em dezembro de 2012. Acha que 7 dias sao suficientes para um bom passeio na cidade? Quero “queimar” os outros 20 dias de férias em outras cidades européias.

Abraço

Responder

Daniel Duclos janeiro 4, 2012 às 01:41

Oi Santiago, obrigado, Acho que sim, que 7 são bem suficientes. Boa viagem.

Responder

Heloisa dezembro 1, 2011 às 01:17

Oiii, passei mal de tanto rir, você é simplesmente hilário, hahhaha…

Estarei chegando no inicio de Fevereiro em Praga ficando por uma semana mais ou menos, depois seguirei para Budapeste. Tem alguma dica para lá também?
Me encontrarei com uma amiga na Alemanha e seguiremos para Praga tipo dia 3 de Fevereiro, gostaríamos de ficar em algum hotel bem econômico (nao queremos Hostel) se puder me indicar algum ficarei super grata.

Abçs,

Responder

Daniel Duclos dezembro 23, 2011 às 02:53

Oi Heloisa, infelizmente nunca fui à Budapeste, então não tenho dicas de lá. Se alguém tiver, compartilhem com a gente! Boa viagem!

Responder

GREGORIO julho 13, 2011 às 04:33

Primeiro parabenizar pelo site e pelas dicas.
EStou doido com tantas dicas (também estou vendo as de Amsterdã) farei as duas cidades (mais Paris) agora em agosto. Não consegui ver o preço da passagem de trem, tentei várias e várias vezes, o resulotado é “Onverwachte fout, probeer het aub opnieuw. “Pelo o que entendi, para Praga, é preferível levar dolares.certo?E por falar em Paris de onde seria melhor pegar o transporte Ams. ou Praga? Trem sairia mais barato? Infelizmente tenho que escolher o lado mais barato.
Até a próxima dúvida e muito obrigado pelas dicas.

Responder

rbp junho 10, 2011 às 11:24

Oi Tiago,

Há um artigo só sobre transporte público: http://www.ducsamsterdam.net/transporte-publico-amsterdam/ . Lá, entre outras coisas, tem um link pro 9292, que te dá os horários certinhos (na seção “Calcular rota de transporte público na Holanda”). Em particular, dependendo de onde você estiver talvez tenha de pegar uma linha noturna, que é menos freqüente, então planeje alguma antecedência!

Boa viagem :)

Responder

Tiago junho 9, 2011 às 19:08

Olá, Daniel!

Ótimas dicas, estou planejando ir a Europa ano que vem e será muito válida essa sua experiência.

Estou com uma dúvida, e se você puder peço que me ajude pois não achei informações em lugar algum.

Estarei em Amsterdã e na sequência irei para Londres, Paris e Roma. Todos esse vôos internos, a hora de embarque é bem cedo (07:00). Posto que os hotéis são nas área centrais, você acha possível que eu consiga chegar no aeroporto por algum meio de transporte público (trem, ônibus ou metrô)? Mesmo que pra isso eu tenha que acordar ás 04:00 no dia dos embarques.

Procurei sobre horários em que o transporte começa a funcionar e não achei na internet.

Muito obrigado!

Tiago

Responder

Kamada maio 20, 2011 às 01:14

Grande ! Nossa ! Tive caimbras no abdome de tanto rir ! Excelente descricao. Abracos e parabens e obrigado.

Responder

Felippe maio 17, 2011 às 22:51

Adorei a descrição, nunca ri tanto, achei o máximo , até parece que eu estava vendo os acontecidos.Parabéns!!!!!
Felippão

Responder

Tino Therezo abril 29, 2011 às 00:47

Olá, Ducs. Suas dicas são realmente as melhores!! Voce sabe se é necessario visto para a Rubublica Tcheca? Abs. Tino Therezo

Responder

rbp abril 29, 2011 às 07:02

Tino: a Rep. Tcheca está no espaço Schengen, e não exige visto pra turismo ou negócios por até 3 meses.

Responder

Giorgia novembro 3, 2010 às 20:33

Obrigada, Carladuc!!!

Valeu as dicas, tentaremos madrugar e ver algumas paisagens!!!!

Responder

Giorgia outubro 22, 2010 às 21:38

Olá Ducs,

Parabéns pela page, estamos indo para Amsterdam e Praga, dentre outros destinos no final de dezembro/2010. Será que pegaremos neve por lá?

reservamos o hotel CitizenM, perto do Zuid (sic?), será que é muito difícil chegar ao centro e ao aeroporto?

Obrigada por todas as dicas !

Responder

carladuc outubro 23, 2010 às 17:46

Oi Giorgia,

Em Praga acho que as chances são boas, mas em Amsterdam é bem imprevisível se vai ter neve ou não.

Perto do Zuid não diz exatamente a localização. Zuid significa Sul. É perto do metro Zuid?

Eu coheço um CitzenM no aeroporto, mas acho que não é desse que vc está falando.

Boa viagem pra vcs!

Responder

Giorgia outubro 25, 2010 às 21:01

Carladuc,

que bom que respondeu! O hotel é perto do metro Zuid, entre o aeroporto e o centro, seria, no meio do caminho. chegaremos 20h e iremos as 10h do outro dia, ou seja, apenas uma conexão e gostaria de aproveitar um pouquinho de amsterdam. Achei os valores dos hotéis bem caros para aquela data, então achei um bom custo-benefício, o problema é se conseguiremos nos locomover para ver o centro da cidade (em poucas horas).

um gde abraço.
Giorgia

Responder

carladuc outubro 28, 2010 às 14:52

Oi Giorgia,

As 10:00 sai o seu voo? Bem, pessoalmente acho o tempo muito apertado pra dar pra ver alguma coisa. Se seu voo sai as 10:00, vc tem que estar pelo menos as 09:00 no aeroporto. Se seu voo chega as 20:00, até desembarcar, pegar sua bagagem, deve chegar no hotel umas 21:30/22:00.

As cidades na Holanda não são boêmias, menos ainda no inverno, o que indica que até pra achar um restaurante as 21:30 que ainda tenha a cozinha aberta é complicado. E as 07:00 da manhã não tem praticamente nada aberto ainda e em dezembro ainda não amanheceu esse horário.

Não quero te desanimar, é só minha opinião pessoal. Veja o que você acha e o que consegue fazer. Talvez se seu hotel fosse no centro de Amsterdam, ficasse mais fácil e vc conseguisse dar uma andada rapidinha e ver alguma coisa.

Pra você ir do aeroporto pro metrô Zuid, o melhor é vc pegar um trem no aeroporto. O metro Zuid fica junto da estação de trem Zuid, então é um trem direto pra lá. O tempo de viagem do trem é 8 minutos. Do metro Zuid pro centro de Amsterdam, vc pode pegar o metro 51. O tempo de viagem é cerca de 21 minutos.

Vc pode consultar as viagens de trem dentro da Holanda aqui: http://ns.nl/cs/Satellite/travellers

E as viagens de transporte público urbano aqui: http://journeyplanner.9292.nl/

Boa viagem!

Abraço,

Responder

vanderlei d.VIEIRA setembro 30, 2010 às 21:29

Ola! Ducs, ja nos comunicamos anteriormente, de Porto Alegre-Rio Grande do Sul, comentando as lindas fotos que tirastes em tuas viagens por esse mundao e as dicas, que destes. No entanto, hoje, necessito de ajuda. Nesse momento, estou em Paris, com minha esposa, conforme havia falado, e pretendo chegar em Amsterdan, segunda-feira proxima,dia o4/10/2010, como nao conheço nada, gostaria que me desse uma dica de como é; A estaçao do trem é longe do centro de Amsterdan? tem que pegar onibus/Taxi? aguardo de tua ajuda. um abraço a vcs,Ducs/Daniduc.

Responder

Daniduc setembro 30, 2010 às 21:39

Oi Vanderlei

A Estação Central de Trem (Centraal Station) fica no centro. Dependendo de onde você quer ir e da sua bagagem, não precisa táxi, tram ou ônibus. Mas se precisar há pontos de tram/taxi/ônbus na saida da estação.

Abraço

Responder

Julia Romero agosto 31, 2010 às 16:53

Adorei mesmo tudo oq vc escreveu à respeito de Praga . Muitas dicas eu anotei em um post-it no meu caderno de viagens para nao esquecr jamais ( como as do restaurante, da neve etc ) .
Eu me mudo para Praga no final desde mês por que vou fazer faculdade lá e estou ainda mais feliz com a minha escoha agora que li suas aventuras por lá !..

Bom Trabalho!
Julia.

Responder

Sandra agosto 26, 2010 às 22:55

Ah, complementando o post. Eu quis dizer Itália INTEIRA, viu?

Responder

Daniduc agosto 26, 2010 às 23:10

Haha, *inteira*?! Bem, fizemos a viagem pra Milão, Pisa, Florença e Roma, apenas (posts a sairem algum ponto) — tem algumas dicas já publicadas aqui, dá uma olhada na barra lateral aqui do blog, procure por “Dicas da Europa” -> Dicas sobre Itália e Bélgica — Mas hè, isso não é a Itália inteira, né? Bem, que me resta dizer? Tenho de fazer esse *enorme* sacrifício, tudo pelo blog… :)

Italia rox.

Responder

Sandra agosto 26, 2010 às 22:20

No começo desse ano, antes de viajar para Amsterdam, descobri seu blog.
Isso me rendeu ótimas dicas e boas risadas.
Agora, em vias de ir a Praga, também descubro aqui outras belas dicas.
Agora proponho que vocês façam uma viagem pela Itália e depois contem tu-di-nho pra gente, tá? Assim já garanto ótimas dicas para as minhas próximas viagens!
Bom trabalho!

Responder

Marcelo "Cybermod" agosto 9, 2010 às 23:05

É tudo muito maravilhoso!!! Mas, cara, será que estou doidão? O Castelo de Praga (Pražský hrad) está pichado???? Eu vi na foto!!!!! Putttssssss. Confirma ae!!!!! Abração.

Responder

Daniduc agosto 9, 2010 às 23:37

Oi Marcelo

Não, na verdade. O que aparece em primeiro plano não é o caselo, e sim a ponte de onde foi tirada a foto do castelo, que está em segundo plano na foto, no alto, “supervisionando” a cidade.

Mas não estranharia se estivesse. Não foram poucos os monumentos famosos que vi pichados. No começo, eu tirava foto de todos, mas depois até cansei disso. Eram muitos.

Abraço

Responder

Marcelo "Cybermod" agosto 11, 2010 às 22:37

Ahhhh, beleza então. A vista é simplesmente maravilhosa. Abração.

Responder

Maeva julho 30, 2010 às 18:49

Cara, parabéns!

Gargalhei lendo a aventura em praga. Com certeza entrará em meu roteiro de viagem.
Parabéns pelo Blog. Estou a caminho de amsterdam em setembro, e as dicas de comer barato estão nos meus favoritos =)
Adorei sua maneira de escrever!

Responder

Daniduc julho 31, 2010 às 15:43

Oi Maeva

Brigado, fico feliz que tenha curtido. Espero que as dicas sejam úteis :) Se quiser continuar por aqui, seria uma honra :)

Um abraço e boa viagem!

Responder

monica julho 28, 2010 às 23:50

Nossa Dani, quase morro de tanto rir com esse texto…
Além das informações serem super, a gente lê se divertindo, rssss…
agora qd eu for a Praga já sei onde venho buscar as dicas, são preciosas!
Valeu,
um abraço pra vc e Carla

Responder

Daniduc julho 29, 2010 às 15:56

Oi Monica. Putz, fico até encabulado! Brigado :) Feliz q tenha curtido!

Abraços

Responder

rbp julho 28, 2010 às 21:12

Putz, Praga é animal… Esse post deu uma saudade danada!

Pra quem está considerando os meios de transporte pra chegar lá, fica aqui meu voto pra ir de trem. Não só a região é linda (e eu gosto de trem, de forma geral), mas a chegada em Praga é *impressionante*! Como a Aline já descreveu, é de tirar o fôlego. Você vem viajando (pelo menos no inverno) por uma paisagem toda branca, baixa, daí começa a passar por alguns morros (uns 15 minutos antes da chegada tem um castelo “escondido”, à esquerda, fique atento!), até que… Do mais inteiro e absoluto nada, surge a cidade! É um tapa na cara. Você pisca e está ali, aquela cidade linda. Imediatamente você vê o Vltava, enorme, guiando sua visão até o castelo de Praga, ao fundo, tomando conta da cidade. É animal. Como a Aline disse, ficamos tão abobados que nem mesmo tiramos uma foto, mas a visão vale a pena. Aliás, algum dia ainda vou escrever a respeito (e já prometi isso antes, acho), mas pode ser não só divertido como econômico ir até Munique de avião (de onde quer que você venha), e de lá comprar uma passagem chamada Bayern-Böhmen Ticket, que, pode 33 euros, permite a até 5 pessoas trânsito ilimitado (por um dia) nas regiões da Bavária (onde fica Munique) e Boêmia (onde fica parte da República Tcheca, incluido Pilsen, de onde você consegue seguir, baratinho e muitas vezes no mesmo trem, pra Praga). No nosso caso, fizemos esse roteiro justamente porque era mais barato, e ainda, de bônus, ganhamos a vista da chegada à cidade!

Claro, se você for com os Ducs, é capaz de o dia estar encoberto, ou de eles terem levado o castelo de Praga pra lavar na manhã anterior. Mas daí vale pela companhia :)

Quanto a falarem inglês… Bom, melhor você aprender a se virar na base do improviso. Quando chegamos à estação de trem (estação principal de Praga, teoricamente a porta de entrada de muito estrangeiro), fomos até uma banca de jornais pra comprar bilhete de tram. “Do you speak English?” “Small…” Small?? Certo… Daí, claro, resolvemos apelar pro alemão, que o Badá disse que era meio que a segunda língua de todo mundo por lá. “Sprechen Sie Deutsch?” “Bisschen”. Ceeeeeerto. Foi na mímica mesmo.

Sobre a culinária: foi lá que eu perdi meu preconceito com cervejas Pilsen. Tá, os caras têm a *cidade* de onde vem o nome, alguma experiência eles deveriam ter. E, realmente, tomamos pilhas de cervejas diferentes, e ficou óbvio que o que se toma aqui no Brasil não é Pilsen. É castigo.

Geocache: essa viagem foi frustrante, neste aspecto. Depois de vermos a família feliz voltar sem um de seus integrantes (mas ainda carregando a pá), acabamos deixando o de Praga pra lá. Procurei um em Amsterdam, mas fomos encontrar a Carla e acabei não voltando. Cáspita. A Europa está me devendo esta, e eu vou cobrar!

Aliás, os Ducs não puderam nos acompanhar, mas de Praga fomos pra Špindlerův Mlýn (que, aliás, ficou em segundo lugar dentre os nomes que eu mais pronunciei na viagem, depois de Náměstí Míru), uma estação de Esqui (e Snowboard, que foi o que fizemos) muito legal! Tínhamos tempo contado (íamos embora no dia seguinte), e não fazíamos idéia de… Bem, de nada. Mas nos viramos, achamos uma escola de Snowboard, e aproveitamos muito as 4 horas que passamos lá. Preciso dizer inclusive que sou, pelos comentários que ouvi, o ás do Snowboard! Ainda não colocamos todas as fotos no ar (e isto definitivamente merece um post), mas logo logo deve haver algumas em http://www.flickr.com/photos/alickel/sets/72157624439933663/

Agora, certamente, a memória mais marcante da viagem pra Praga é branca. E aproximadamente redonda. E fria. Molhada. Seguida de gritos. E, claro, indo velozmente em direção aos outros.

Saudade…

Responder

Daniduc julho 29, 2010 às 15:55

érre, esse comentário é um post em si! (hint hint) :)

Responder

rbp julho 29, 2010 às 16:12

Hehehe Eu sei, eu sei. Consideremos um primeiro rascunho :)

Responder

Beth julho 28, 2010 às 11:02

Que delícia de post, vou voltar pra ler com calma porque você escreve muito, hehehe. Eu visitei Praga em 2007 com meu filho (também era um sonho antigo). Fomos de trem noturno saindo de Frankfurt, ficamos em um vagão couchette e foi uma viagem ótima. A cidade também é uma das mais lindas da Europa, né…agora bateu até saudades.

Beijos e continue escrevendo ;-)

Responder

Daniduc julho 28, 2010 às 11:56

Oi Beth. Po, legal a sua experiência de ir de trem! Bom saber que a viagem foi ótima.

Esse realmente é o maior artigo que já escrevi aqui no Ducs, mas Praga merecia. Espero que o artigo esteja a altura da cidade :)

Bjs

Responder

Marina K. julho 28, 2010 às 11:00

Dani, ótimo artigo:)
Ronnie está neste exato momento em Praga:)
A gente adorou o bairro judeu, a arquitetura e detalhes são fantásticas!
Dica: tomar um café ou cerveja dentro do Hotel Pariz e apreciar a arquitetura local. Almoço no restaurante no topo da Tesco (loja de departamento) com vista para a cidade, de preferência em um dia de sol!
Praga nos surpreendeu pela beleza, organização e boa estrutura para o turismo!
Beijos, Marina e Ronnie

Responder

Daniduc julho 28, 2010 às 11:53

Oi Marina

Legal que você curtiu o artigo. Outra dica de cerveja anotada… e quero ver as outras que o Ronnie vai trazer de lá dessa vez! Dia de sol não fez na nossa viagem, mas os incentivos pra voltar só aumentam, pelo visto :)

PRaga é linda mesmo. Bjs

Responder

Aline julho 28, 2010 às 05:25

Caramba, que saudade de Praga, dos Ducs, do Badá e da Sarah, de ficar bundando por essa cidade incrível. Quero voltar!!!!!!! Pode ser agora?? :-D (droga, difícil ficar longe da família)…

Demais o post, Dani. Obrigada por refrescar minha memória com lembranças tão saborosas :-)

Responder

Daniduc julho 28, 2010 às 11:51

Pois, pensei a mesma coisa, fiquei olhando as fotos e relembrando e aos poucos foi voltando tudo… hã? isso? não é, é que caiu um cisco, tá. hã… tenho de ir agora. bjs

Responder

Diego julho 28, 2010 às 02:53

Ótimo texto sobre “Praag”, cara! :D
Idioma críptico à parte (o garçom falando “bird” foi hilário!) e eles não falarem inglês (como se brasileiros pudessem reclamar disso…), Praga é lindíssima!
É uma pena não tê-la explorado mais em minha viagem, mas por outro lado muito bom, pois serei “obrigado” a voltar, e espero que muito em breve. :)

A escada rolante do metrô é realmente INSANA! Incrivelmente rápida e a sensação de profundidade é tanta que dá a impressão de que você vai despencar dela, se tropeçar.
Falando em tropeçar, um velhinho que 2 degraus acima de mim se distraiu e encostou a perna na lateral da escada – que, felizmente, subia.
Resultado? Se desequilibrou e caiu com tudo pra cima de mim! Sorte a minha (e a dele também), estava atento e consegui brecar o efeito dominó. Tenso! hahaha

E como dica, indico a cervejaria “U Fleků” (http://en.ufleku.cz/), a cerveja escura deles (sim, fabricação própria!) é deliciosa e o ambiente é bem legal! Tem 2 “vôs” tocando tuba e sanfona que vão de mesa em mesa perguntando “Where are you from?”, e com a resposta eles tocam uma música daquele país. No meu caso, tocaram Aquarela do Brasil! Muito massa! :D

É isso aí! Abraço!

Responder

Daniduc julho 28, 2010 às 11:49

Ae Diego, valeu! Sabe que às vezes eu repferia que os holandeses até falassem menos inglês? Hehe.

Mas boa a dica da cervejaria, tá inclusa no programa da volta!

Queria ver o que eles tocariam se alguém diz que é da Holanda… Hm. Ou das Filipinas? Caramba, acho que vou combinar com o pessoal pra descobrir, cada um diz uma coisa hehe :D

Valeu Diego! Abraço

Responder

rbp julho 28, 2010 às 19:44

Hehehe Pensei exatamente isso, quando li o comentário do Diego! “Carulhas, vou falar que sou de Moçambique!” :)

Responder

Sarah julho 27, 2010 às 23:27

Nossa, o texto ficou muito bom, Daniduc! Me fez relembrar o tempo que vocês estiveram por aqui e como foi boa a visita de vocês. Pena que na época a gente ainda não conhecia a cidade tão bem, então ficamos devendo um bando de coisa legal para mostrar. Vocês definitivamente terão de voltar!

Beijo!

Responder

Daniduc julho 28, 2010 às 11:46

Brigado Sarah! Enquanto eu tava escrevendo o artigo pensei a mesma cosia: putz, *temos* de voltar! Vamos ver se ano que vem a gente consegue!

Ah, e a nossa toquinha está sempre à disposição proceis aqui em Haia :)

beijos

Responder

Marina julho 27, 2010 às 17:08

ahahahahah
Esse artigo vc se superou com as piadas.
Morri de rir!

Quando eu fui para Praga, fui de SkyEurope (ela faliu? Tô passada de chapinha!!). O voo foi tranquilo, mas chegamos no aeroporto de madrugada, “so” não tinha bus. Esperamos uma hora e meia no frio, e nada de busão.
Dividimos um taxi até a estação de metrô mais próxima com outros turistas, que também estavam esperando o bus. Mesmo dividindo, foi uma fortuninha!
Chegando na estação de metrô: Tinha acabado de fechar! Uhul…. Imaginem: Frio (também estava nevando), escuridão, medo! (A única coisa boa foi que eu achei 20 euros no chão. ahahahah ) Não tinha uma alma viva na rua, só umas garotas de programa.
Sabe aquele ditado que fala: Só tem tu, vai tu mesmo? E foi a elas que pedimos informações.
Bom, no fim, pegamos o tram errado e tivemos que pegar outro taxi, dessa vez saiu o valor todo do nosso bolso e, acreditem, foi bem salgado (lá se foram os meus 20 euros).

Em geral, eu concordo com vocês, a cidade é bem barata, pena que eu estava em crise financeira e não pude gastar muito, ou seja, ver mais coisas.
Eu me lembro que um dos dias nós “almojantamos” em um restaurante localizado em uma das subidas para o castelo, bem próximo a Charles Bridge (ou seja, no centro turístico) e foi super barato. Nunca que iria pagar o que eu paguei por um super prato de carne com essa massa de batatas que você citou acima “denomeimpřonunciável” em uma cidade europeia. E foi super gostoso!
O que me marcou bastante na cidade foi o cemitério judeu. Eles falam que são km abaixo da terra só de covas, pessoas que foram enterradas uma em cima das outras. É impressionante ver tudo aquilo. O mais impressionante é um museu que eles fizeram, tipo um memorial, com o nome dos judeus mortos na guerra e etc.
Você também pode visitar uma Sinagoga.
Dica: O valor que vc paga no ingresso é de acordo com o que vc quer visitar. Não se preocupe, como o Dani falou, é um bairro e tudo fica na mesma região. Na época que fui, a dois anos atrás, a bilheteria fica na frente do cemitério, e era uma fila enoooooorme. (e eu fui em época de baixa estação) Então é bom estar preparado.

Eu fiquei num hostel bem legal, próximo ao centro e não foi muito caro. O grande problema é que para chegar lá tem que subir uma ladeira terrível. Fora isso, o nosso quarto ficava no último andar, de um prédio de 7 andares, e o meu quarto ficava exatamente no 7º andar! Ou seja, depois de um dia todo andando, era preferível dormir na rua, no pé da ladeira, do que no Hostel. O que me motivava a subir era o frio! :S

Enfim, Praga é uma cidade encantadora. Bem pequena e dá para ver tudo andando. Vale a pena conhecê-la! :)

Ps. Dani, só um toque para você. Por favor não ver como crítica. Tem alguns errinhos de digitação no texto. ;)

Responder

Daniduc julho 27, 2010 às 17:22

Oi Marina

Poisé, a SkyEurope foi-se sem aviso prévio desta pra uma melhor. Tenso, especialmente pra quem foi pego de surpresa em meio de viagem, e isso aconteceu com uma galera.

Valeu as dicas do seu comentário, muito boas!

Sobre os erros de digitação: não fico magoado não, se achar algum me avisa pra eu corrigir! A gente revisa sempre, mas alguns passam. Infelizmente hoje calculei errado e o email saiu junto com a publicação — eu corrigi diversos depois que o email foi, mas se sobrou algum, me diga pra eu matar!

Um abraço

Responder

Daniduc julho 27, 2010 às 17:23

(só reforçando: antes de ficar magoado, fico agradecido :)

Responder

Fabricio julho 27, 2010 às 15:58

Praga é show, a cidade mais linda das que eu conheço na Europa. E olha que eu fui no verão, que nem tem essa neve charmosa pra complementar o visual! Tem fotinhos em http://enoisnaholanda.blogspot.com/2010/07/praga.html

Comida de rua, cerveja barata, transporte bom, povo gente fina, lugares sensacionais. Recomendo mesmo!

Parabéns pelo post! Pra variar, muito completo e extremamente bem escrito. :)

Abraço!

Responder

Daniduc julho 27, 2010 às 17:19

Fala Fabricio! Valeu! :) Praga detona mesmo. Acho que vou ter de voltar…

Mas antes…

Po, cara, como sou vacilão! Já tá incluso o É nois na Holanda na seção de links (demorei! :( Desculpa ai) Pessoas, quem ainda não conhece, dá um pulo lá no http://enoisnaholanda.blogspot.com/!

Valeu!

Responder

Fabricio julho 27, 2010 às 17:30

Opa, que honra! Valeu! :D

Abraço!

Responder

ju julho 27, 2010 às 13:44

Eles buzinam, mas não brecam…. muahhhhsiuahsusuahsau

Responder

Daniduc julho 27, 2010 às 17:15

Haha. Acho que ele capota, se precisar, mas não breca não :D

Sério, tivemos uma vez de literalmente PULAR da frente dele… tenso.

Responder

Simone fevereiro 8, 2011 às 19:40

Olá!
Em 2009 fui à Amsterdam e suas dicas foram mais que maravilhosas! Esse ano voltarei, mas também vou visitar Praga e a Alemanha, e mais uma vez…dicas essenciais! Obrigado pela ajuda de sempre e parabéns: seus textos são sempre agradáveis de ler…Abraços!

Responder

Daniel Duclos fevereiro 8, 2011 às 20:01

Oi Simone. brigado e, como dizem os holandeses, “graag gedaan” :) Bjs e boa viagem

Responder

{ 17 trackbacks }

Previous post:

Next post: