O melhor guia online sobre Amsterdam, em português” – Estadão

Natal em Groningen

por Daniel Duclos em 01/04/2009

Natal na Holanda

Groningen - Natal 07 No final de 2007 eu ainda estava aqui como turista, usando os três meses a que os brazucas têm direito antes de voltar pro Brasil pra tirar o meu visto de residência. Era o primeiro Natal que passaríamos longe, não da família, mas da família, amigos, do Brasil!

Completamente isolados, ainda conhecendo muito pouca gente aqui, pensávamos o que fazer com os dois dias de feriado em que todos estariam se reunindo sem nós. Poderíamos fazer uma ceia romântica a dois, mas cara, ceia romântica pode-se fazer todos os dias. Resolvemos, como sempre que podemos, pôr o pé na estrada — ou na ferrovia, no caso, e ir viajar nos dias 25 e 26 de dezembro.

Poisé, o Natal aqui é comemorado em dois dias também, mas em dias ligeiramente diferentes da tradição brasileira. Em vez da véspera, os holandeses comemoram o dia seguinte. Eu sei, eu sei, mas é assim, sério. Chamam-se "Eerste Kerstdag" e "Tweede Kerstdag", primeiro e segundo dia de Natal, e compõem a kerstfest. Olha, os holandeses não estão sozinhos nessa.

Os ingleses, e no embalo deles os outros países do Common Wealth, também declaram feriado no dia 26 de dezembro, no chamado Boxing Day, em vez do dia 24.

Os holandeses fazem mais ou menos o mesmo que os brasileiros: num dia passam com uma família, no outro com outra, caso os dois cônjuges tenham família na Holanda, o que é meio raridade por aqui, pelo que eu tenho visto. Se não, dar rolê neste dia também é uma opção popular.

Descontão nos trens holandeses

Com dois dias inteiros à disposição, poderíamos ir um pouco mais longe na Holanda, como Maastricht, bem ao sul, ou Groningen, bem ao norte. A Carla tinha ouvido falar que iria rolar a "Winter City" em Groningen, o que pareceu tentador. Era nosso primeiro inverno fora do Brasil, Groningen tem, em geral, temperaturas mais baixas, pareceu uma boa ir ver um parque temático invernal no nortão da Holanda. Além do quê, é legal falar Groningen. Quer tentar?

Decidido, bora comprar as passagens, estreando meu super mega hiper Voordeelurenabonnement da NS. Não entre em pânico, eu explico num segundo. NS é a compania de trens da Holanda. Viu, não foi tão ruim né? Agora, respire, Voordeelurenabonnement (literalmente algo como "assinatura de horário econômico") é o the off-peak discount pass, ou seja, cartão de desconto pra viagens fora do horário de pico.

É uma das maneiras de economizar na Holanda, e é um lance muito legal. Você paga 55€ mais uma foto. Por um ano, você tem um cartão que permite você ter 40% de desconto pra você e mais três companheiros, em todas as viagens pela Holanda, desde que fora do horário de pico, ou seja, durante a semana depois das nove da manhã e o fim de semana todo. Se vale a pena fazer? Faz a conta. Em tarifas de hoje, eu mais a Carla indo pra Groningen de Amsterdam num dia e voltando no outro, sai €57,40. Se usar o cartão, nós dois pagamos €34,40, ou seja, 23€ a menos. Em uma única viagem já recuperamos mais de 40% do investimento inicial de 55€, e ainda teríamos o ano todinho pra usar. E se fossem três pessoas viajando, a economia seria ainda maior.

Cuidado pra não ir parar na Dinamarca.

Na volta da estação, com as passagens no bolso, tive a moral de quebrar a minha bike e meu orgulho em um acidente estúpido envolvendo o trilho do tram. Isso meio que deu uma desanimada, ainda mais que, logo depois, a Carla caiu bem doente, completamente gripada. Show de bola. Neste estado lastimável foi que pegamos o trem no dia seguinte, dia de Natal. Um trem lotado, aliás. Mas estávamos bem sentados, pois embarcamos em Amsterdam, meio que no começo da viagem. O que não durou muito, vejam.

Veio o cobrador (em holandês, um falso cognato: conducteur é cobrador/fiscal de passagens), pediu as nossas passagens. Querendo impressionar a esposa, resolvi me meter a fluente em holandês com apenas dois meses de Holanda, e fingi que entendi o que o cara falou, entreguando os bilhetes (só podia ser, né?).

O cara, olhou, e disse:

- RrurghRraachtsrrurChRRroninguãm. Raarrorrem?

Ops. Hora do "sorry?" que joga os holandeses em modo bilíngüe.

- Seu bilhete está certo, mas você sabe que este vagão não vai pra Groningen, né?

- Não?

- Não.

- Este não é o trem pra Groningen? How come?

- É. Mas este vagão se separa do trem e segue outro caminho mais pra frente. Você tem de trocar de vagão na próxima parada.

Agora, essa era muito nova pros caipirões aqui. Trocar de vagão, tão tá. Ainda bem que o cobrador nos avisou. Um colega nosso, em uma outra viagem, ignorando essa peculiaridade de viagem ferroviária, acordou em outra cidade, certa feita. Nós acertamos o vagão na próxima parada, mas perdemos o lugar. Tivemos que sentar separados e espremidos, e separados, quebrados e espremidos chegamos em Groningen.

A cidade abandonada

Ao nos afastarmos da estação ferroviária começamos a notar, assim, uma conspícua ausência de, como direi, pessoas. A cidade estava deserta. Vazia. Onde, onde está todo mundo?

Tinham nos dito que Natal é coisa de família pra holandês, e, duh, pra todo mundo, pensamos. Mas veja, é uma cidade universitária. A estudantada que forma um bom quarto da população quer mais é distância da faculdade, e a cidade esvaziou. Os que ficaram se enfurnaram dentro de casa com a família e não se via viva alma nas ruas. O que tornou a aventura de achar um pico pra almoçar mais difícil do que pensávamos. Tudo fechado.

Eventualmente achamos um restaurante aberto (com fotos do mesmo lugar quando a cidade foi liberada na Segunda Guerra por tropas canadenses. Ok, divirtam-se Carol e Gus. Foi o Canadá que liberou a Holanda :) ), e saímos pra fazer check-in no hotel e ir em busca do Tourist Office (sigla em holandês: VVV, toda cidade tem um, procure).

Fechado

25 e 26 de dezembro, fechado o dia todo

VVV fechado. Afinal, é Natal, certo? Digo, quem seria doido de ir fazer turismo num feriado? Nós é que não. Fomos explorar a cidade por nós mesmos. O que há pra ver em Groningen?

Bem há o Vismarkt.

Groningen - Natal 07

Animador. Tem a torre da Martinikerk.

Groningen - Natal 07

Ingressos pra Martinikerk no... VVV! Isso, no Tourist Office, fechado. Hm. Há também um museu, que abriria dia 26. Nos restava aproveitar a super hiper mega... WINTER CITY!

Natal na Winter city

Ela ficava na maior praça de Groningen, o Grotemarkt, onde há também a prefeitura (city hall). Chegando lá, notamos que a Winter City estava mais pra Winter Village, ou Winter 3 pequenas cabanas. Consistia de:

- 01 Roda Gigante

- 01 Árvore de Natal

- 01 pista de patinação

- 03 casotas pré-fabricadas vendendo chocolate quente, batata frita e ingressos pra pista de patinação.

É isso aí. Bem-vindo à Winter City.

Agradecemos na noite fechada (anoitece cedo), e fomos testar o chocolate quente, causando espécie nos locais. Quando dissemos que éramos brasileiros, e estávamos lá, no Natal, no meio daquela cidade vazia no extremo norte da Holanda, poderíamos muito bem dizer que éramos extra-terrestres e queríamos ver o líder deles.

Foi uma conversa divertida, e o chocolate estava gostoso. Pra completar a bizarria, a Carla tirou o Macbook dela da mochila e caçou uma rede wi-fi aberta pra ligar pro Brasil. Ou Marte, na cabeça dos locais.

Groningen - Natal 07

Em algum momento da noite, a Carla descobriu que eu nunca havia andado de roda gigante.

- Nunca?!

- Nunquinha!

- Vamos resolver isso mas é já! - e pegou minha mão e fomos correndo acordar o tiozinho de 117 anos que ficava no caixa, que por sua vez acordou a Roda Gigante exclusivamente para nós. Ficamos rodando na noite fria de inverno, olhando Groningen de cima, com a linda e iluminada árvore de Natal lá embaixo. Bem no alto, nos desejamos Feliz Natal e brindamos a noite com um beijo.

Groningen - Natal 07

Fim de noite no pub

Voltando pro hotel, ainda restava um problema: comer alguma coisa. E beber, claro — até onde eu saiba pode misturar álcool com paracetamol. Se não podia, ups. Andamos pelas ruas desertas (as únicas almas pingadas pareciam estar na Winter City), torcendo pra ver qualquer coisa com cara de bar ou restaurante aberta. Ou qualquer coisa aberta.

Já havíamos desistido de bater com a cara na porta das indicações do Lonely Planet, quando, bem perto do hotel, notamos um muy mal iluminado pub. Poderia estar aberto. Demoramos um pouco pra decidir se estava ou não. Parecia estar. Será? Empurrei a porta, abriu.

Dentro do pub, uma única luminária jogava uma luz fraca e amarela no ambiente. Três caras e um cachorro nos ignoraram. O balconista, um holandês gigantesco, quase gordo e muito alto, cabelos compridos e ensebados caindo sobre um avental idem, também. Ah, que se dane, eu queria algo pra beliscar e uma cerveja. Sentamos.

Depois de algum tempo o balconista veio até nós. Perguntei se ele tinha algo pra comer. Ele sorriu sinistramente, puxou uma faca do avental ensebado e disse:

- Agora temos.

Não, não, não foi isso que aconteceu. Ele respondeu apenas:

- Não.

- Nada?

- Nada.

- Um salgadinho? Qualquer coisa pra beliscar enquanto tomamos uma cerveja?

- Ah, bom. Sim, posso fritar uns bolinhos de carne.

Dei de ombros. Não queria nem saber de onde vinha a carne. Manda bala. E uma Guiness. O cachorro nos olhava com alguma curiosidade. Os outros três fregueses não. Os bolinhos vieram, e até que troquei uma idéia com o balconista, também absolutamente surpreso de ver um casal de brazucas turistando justo no pub dele, em Groningen. Essa foi a nossa ceia de Natal. Dali, cama.

O segundo Natal

Dia seguinte resolvemos vagar mais um pouco pela cidade. Andando pelo imenso vismarkt, comecei a me sentir naqueles filmes apocalípticos onde todo mundo morreu ou virou zumbi. De puro tédio comecei a gravar filminhos engraçadinhos com este tema, e não, não irei publicá-los.

Groningen - Natal 07

Cérebros... cérebros...

Mas a glória dos filminhos foi quando descobrimos na frente da estação ferroviária um bicicletário gigante que permitia subir em seu teto, distante uns 4 metros do chão.

- Estamos aqui transmitindo direto do topo de uma das mais altas montanhas da Holanda, em frente à estação de Groningen...

- A subida pela rampa foi árdua, mas somos os primeiros a atingir o topo na fantástica altitude de zero metros acima do nível do mar, já que a Holanda tem altitude negativa...

- Deu um trabalhão, mas a vista compensa:

Groningen

*Fom*

- Os holandeses não conseguem chegar até aqui em cima devido à ausência de oxigênio em tremendas altitudes como esta, mas nós das terras altas do Brasil já nos acostumamos com altitudes de zero metro.

Groningen - Natal 07

Topo!

E por aí fomos, observados por um holandês e seus dois filhos enquanto fazíamos a palhaçada em público. Mas o mais legal da rampa do tal bicicletário era uma estátua de um cara apoiado na bunda de um cavalo.

Sério. Ah, vejam vocês mesmos:

Groningen - Natal 07

Um cavalo e dois bundões

O Museu e o fim da viagem

Aproveitamos o resto do dia pra visitarmos o museu de Groningen, onde além de vermos o excelente acervo de arte moderna, ainda vimos uma lindíssima exposição sobre arte relacionada ao folclore russo. Aprendemos um monte e acabamos comprando o livro-catálogo da exposição. Se você se pilhar um dia em Groningen, vá na certa, que o museu vale.

E no fim do dia, tomamos mais uma cerveja e observamos a cidade ressucitando, enchendo a estação, as praças e as ruas, a estudantada voltando, enquanto nós  íamos. Tivemos um gostinho de porque amigos nossos recomendaram tanto a cidade. Ainda volto pra lá, mas desta vez sem a cidade estar fechada pra balanço.

Groningen - Natal 07

Ah, então é assim que a cidade se parece com pessoas nela

Fotos

Se você quiser, como é tradicional aqui no Ducs, pode futricar nosso ábum no Flickr com as fotos.

Groningen - Natal 07

Quer um hotel em Groningen?

Daniel Duclos (Daniduc), é um brazuca que mora na Holanda com a esposa, também brasileira, desde novembro de 2007. Criou o Ducs Amsterdam, o qual escreve, fotografa e edita. Em 2011 lançou um guia de Amsterdam e virou pai de uma linda garotinha, com quem redescobre o mundo todos os dias.


Procurando hotel pra sua viagem?

Eu escrevi um artigo com muitas Dicas de hospedagem.

Se você fizer sua reserva através dos links aqui no Ducs, eles repassam uma comissão pra gente. Então é uma forma de apoiar o Ducs em Amsterdam e ainda descolar um lugar legal, ter suporte em português! :) Todo mundo ganha!

Ah... e o Booking lista hotéis no mundo todo! Não precisa ser só em Amsterdam!

Ingressos pra atrações em Amsterdam

Outro jeito bacana de retribuir o Ducs e ainda se dar bem é comprar ingressos online comigo. Assim você evita ficar tomando vento em fila quando você devia estar passeando e dá uma força preciosa.

Dá uma olhada na página de ingressos do Ducs Amsterdam!

Pessoal, o Ducs só existe com a força de vocês! Então, divulguem, comentem, usem os serviços que o Ducs oferece e vamos que vamos! Obrigado sempre!

Algo a dizer? Manda bala! :)

(Ah, você tem uma dúvida? Leia antes a FAQ. É sério! A maioria das respostas tá lá...)

Outra coisa que é importante é habilitar receber notifcações de novos comentários por email, porque tem um monte de gente que faz uma pergunta em um post aleatório e depois esquece onde fez a pergunta, nunca vê a resposta e acha que não foi respondido, quando na verdade a pessoa é que esqueceu onde que foi... com o aviso por email isso não acontece.

Você leu a Política de Comentários aqui no Ducs?

Comentários escritos TODO EM CAIXA ALTA não serão aprovados.

Dê lá o seu recado!

Notifique-me de novos comentários via e-mail. Você também pode se inscrever sem comentar.

{ 21 comentários… leia abaixo ou deixe um }

Rodney Rodrigues janeiro 2, 2013 às 15:02

Estive em Groningen a trabalho em 2009. A cidade de fato gira em torno dos estudantes. Quando tem estudantes a cidade vive, quando não parece filme de terror, ninguém nas ruas, mas por outro lado me pareceu seguro andar pela cidade, mesmo a noite. No primeiro dia quando cheguei não tinha nada para comer e tudo estava fechado, por sorte achei um Mac Donalds, por azar só tinha notas de cem Euros e acabei ficando sem comer. Outra história que tenho para contar foi mais ou menos assim. Fiquei em um Hotel aonde tinha aquelas lojas com aqueles salgadinhos em caixas onde vc coloca uma moeda e a porta se abre e vc consome o que desejar. Já estava enjoado de comer croquetes. Em outro dia quiz comer algo especial, sai e fui a um retaurante e pedi algo como “sausichs” porque não tinha cardápio em inglês apenas em holandês e o garçom disse ter entendido o que eu queria. A hora que ele chegou ele veio com uma bandeja e havia uma tampa cobrindo o prato e eu fiquei na expectativa (parecia filme do Mr Bean) e quando ele retirou a tampa, tinha o tal croquete e alguma coisa mais. De resto gostei da cidade, povo bacana, linda arquitetura e vale a pena conhecer.
Abraços
Rodney

Responder

Daniel Duclos janeiro 2, 2013 às 18:51

Fala Rodney. Valeu pela história, muito legal. Eu repciso aidna voltar pra Groningen e de modo geral explorar mais o norte da Holanda. Tem muita coisa legal por lá. Feliz 2013

Responder

Roberta agosto 16, 2011 às 20:32

Oi Daniduc
Adorei o post sobre Grrrroningen!! Divertidissimo! A primeira vez que fui para lá peguei o vagao errado!! e fui parar em Leeuwarden :/
Eu morei lá por 2 anos! E adoro! mas é isso mesmo, inverno as pessoas morrem, sei lá!
Agora estou em Amsterdam mas sinto a maior falta de morar em Groningen, a cidade é fofa, parece maquete de tão organizada e bonitinha! Vale sim

Responder

Daniel Duclos agosto 23, 2011 às 01:19

Oi Roberta! haha, é uma pegadinha comum essa, a gente só não embarcou nela porque o cobrador nos avisou… aidna rpeciso voltar pra Groningen quando tem pessoas nela, todo mundo elogia :)

Bjs

Responder

leticia manginelli julho 25, 2011 às 19:30

oi, daniel.
você conhece alguma agencia que indica familias holandesas que acolhem brasileiros qe pretendem estudar em amsterdã?
beijos.

Responder

Daniel Duclos julho 25, 2011 às 19:46

Oi Leticia, infelizmente não conheço. Abraços.

Responder

SERGIO ALEXANDRE ABOUD março 27, 2011 às 18:08

Caro Dani
Gostei muito das suas dicas sobre o país
Vou para a Holanda na 2ª quinzena de Abril
Se possível, gostaria de algumas dicas das quais eu não consegui descobri na internet:
1) O litoral holandês – Qual a sua extensão e as melhores cidades localizadas nele. É possível conhecê-lo de carro. Como funciona o trajeto de barca até Textel.
2) Em Groningem existe algum Memorial sobre a guerra. Há referência aos locais de combate.

Grande abraçõ

Responder

Daniel Duclos março 27, 2011 às 20:43

1. Informações no artigo que escrevi sobre texel: http://www.ducsamsterdam.net/um-fim-de-semana-na-praia-na-holanda-texel-o-primeiro-dia/
2. Não saberia dizer

Abraços

Responder

batateira dezembro 30, 2010 às 23:04

Adorei sua descrição, que riqueza de detalhes! Me diverti do inicio ao fim!
um ótimo 2011 pra vcs 3!
Beijo,

Responder

Daniduc janeiro 5, 2011 às 02:20

Oi Dani, brigado pelo comentário, fico feliz que tenha gostado! Um excelente 2011 pra vocês também =) bjs

Responder

susy pavlov dezembro 30, 2010 às 01:21

Olá Dani,
Groningen????
Pois nunca ouvi falar,confesso que fiquei curiosa.Dei boas gargalhadas com as aventuras nesta cidade fantasma no Natal.O que eu gosto em voces é que se voces tem uma laranja já sai uma laranjada,isto é o máximo,aproveitar todos os momentos e oportunidades.Grande casal Ducs!!!!!
Bjs,saúde e paz!!!

Responder

Natalia agosto 6, 2010 às 17:10

Olááá, nossa que incrível…
Estou procurando informações sobre Groningen, pois estou muito interessada em fazer uma pós láá… Ai gostaria de saber se você tem informações sobre a cidade, o que achou, sobre trabalho… enfim..
Agradeceria imensamente ;)
Muito obrigada,
Natalia G.

Responder

Daniduc agosto 6, 2010 às 17:13

Oi Natalia

Eu só estive essa vez em Groningen. O que achei de lá, bem, basicamente foi o que eu escrevi no post, uai! O post todo é pra contar o que achei de Groningen nesse única vez em que lá estive. Tudo o que sei sobre a cidade está aqui (não é muito, mas só fui um fim de semana).

Boa sorte e um abraço

Responder

daniduc abril 8, 2009 às 01:06

hehehe, posso dizer que fico bem mais feliz do que culpado por isso ;) :)

Realmente, o Natal em Groningen Não foi dos mais emocionantes, mas nos divertimos como deu! :)

Responder

Marcia abril 7, 2009 às 18:26

Estou atrasada para meus compromissos e a culpa é sua! Achei seu site hoje e não consigo parar de ler… Passei somente o primeiro Natal e Ano Novo na Holanda, depois dessa experiência venho para o Brasil , nem que seja a nado! Fim de ano na Holanda nunca mais! Ninguém merece…e em Groningen deve ser bem pior… [;)]

Responder

daniduc abril 3, 2009 às 00:08

Opa Monica, bem-vonda ao Ducs em Amsterdam :) Brigado pelo elogio ao meu huilde post e pelo comentárioo!

Tomara que continuemos merecendo sua visita :) Como tem muito post, vou arriscar duas sugestões: a vez que nos trancaram no museu ou quando tivemos um visitante indesejado. Mas sem compromisso, olhe e fique à vontade!

Abs.

Responder

Monica abril 2, 2009 às 18:16

Oi Dani e Carla…

Ri muito, ao ler o bem humorado relato de “Natal em Groningen”.
A sequência dos acontecimentos e a maneira como vc os coloca, faz com com que a gente se sinta mais ou menos como vcs devem ter se sentido…
Descobri o blog procurando coisas s/ Amsterdam, pois estou morando aqui.Muito legal,adorei!
Depois com mais calma vou dar uma “zapeada” por ele, ok!?
abç,

Monica

Responder

daniduc abril 2, 2009 às 10:14

OI Carol, pois, o segredo é esse, se divertir na hora e uma ano epois, zoando a coisa toda hehehe.

O canadense olhando, now, kiss my ass, better still, kiss my horse’s ass!

Só uma coisa a dizer: W. T. F.? :D

Responder

daniduc abril 2, 2009 às 10:12

Oi Gus! saudades dos seus comments por aqui :) Legal que vc curtiu. O bau dos Ducs tem bastante coisa. Eu estimo que se eu fosse embora daqui hoje, e mantivesse o ritmo de postagem inicial, teria posts inédito pra mais uns seis meses :P

Acho que vai dar certo o mega encontro Amsterdam Toronto sim. Fala com o Rafa, passamos umas datas preliminares pra ele!

Abraço!

Responder

Carol abril 2, 2009 às 02:08

Hahaha, o tom vai ficando cada vez mais surreal. O bom é que vocês se divertem com qualquer coisa. QUALQUER. Coisa. hehe Até com coisa nenhuma.

Rolei de rir com o cavalo e dois bundões. Aliás, o cavalo de rabo empinado.

Será que aquilo é pra ser um canadense no melhor estilo “Já liberei vocês, seu bando de vagabundos, agora olha aqui a bunda do meu cavalo!” hahuahahahau

Responder

Gus abril 2, 2009 às 00:06

Oi Ducs!

Muito bom o post – eu gosto desses posts tipo “Baú dos Ducs”…

Esperamos vocês por aqui para a Holanda (er… vamos esquecer que vocês são brazucas) retribuir o favor e liberar Toronto!!!

Abração

Responder

{ 5 trackbacks }

Previous post:

Next post: